Menu

Vamos na Gamercom 2017?

A cidade de Florianópolis receberá pela terceira vez a Gamercom, um evento dedicado aos apaixonados por games. O evento será realizado nos dias 08 e 09 de julho no Centro de Convenções Florianópolis (CentroSul), em Florianópolis/Santa Catarina.

A novidade de 2017 fica por conta da EGM Arena, uma arena dedica aos eSport onde serão realizadas as finais da EGM Pro League, a 1ª Liga de eSports de Santa Catarina. Entre os torneios já confirmados estão League of Legends e StarCraft 2.

As inscrições para o torneio já terminaram, mas você pode assistir as finais ao vivo! E os vencedores receberão um prêmio de R$ 5000,00!!!



O evento também reunirá expositores do mercado de games, indie games e lojas especializadas. A Gamercom tem como parceiros a PlayStation, Xbox, Ubisoft, WarnerBros Games e NamcoBandai!

Além disso, o evento terá espaço para board & card games, museu de videogame, área mobile, concurso cosplay e o meeting Gamer, uma área de palestras e painéis com profissionais da indústria de games.

Chame a galera e vamos lá!

Gamercom 2017
Save the Date: 08 e 09/07
Horário: 11h às 20h
Local: Centro de Convenções Florianópolis – CentroSul
Ingressos: Ingresso Nacional.

Primeiro trailer de Pantera Negra saiu e OMG QUE HOMÃO DA PORRA!!

Apenas recentemente dentro dos filmes de super-heróis houve uma onda de representatividade. Tivemos a primeira super-heroína lésbica em Power Rangers, por exemplo, e a Marvel até agora tinha inserido dentro do seu panteão de heróis alguns personagens negros: o Falcão, o Máquina de Combate, Luke Cage e até mesmo o Guardião de Asgard, Heimdall, porém, apenas agora teremos o primeiro grande filme de um super-herói negro: Pantera Negra, que ganhou o seu primeiro trailer nesta sexta (09) e agora já tivemos a primeira prova de T'Challa (Chadwick Boseman) sendo o novo rei de Wakanda, dirigido por Ryan Coogler (Creed) esse será o primeiro grande filme de super-herói com um protagonista negro na história do cinema e já de cara parece ser um dos filmes com a fotografia e design mais interessantes da Marvel.

Wakanda - o El Dorado 

O trailer se inicia com Ulysse Klaue, interpretado por Andy Serkis sendo interrogado por Everett Ross (Martin Freeman), and yes we all know, the Hobbit all over again durante a conversa Klaue pergunta o que ele sabe sobre Wakanda, e, logo ele revela que na verdade todo o modo como o mundo vê Wakanda, como um país simples de terceiro mundo é uma fachada.



E logo somos introduzidos para as locações de Wakanda, primeiro Warrior Falls ou as Cachoeiras do Guerreiro onde acontecerá a cena da coroação de T'Challa como novo rei e algumas cenas do Pantera Negra em ação, numa cena onde ele provavelmente está defendendo o território de invasores.


No trailer também temos um vislumbre de uma aeronave de transporte, que o diretor Ryan Coogler explicou ser o Royal Talon Fighter, designado especialmente para ser o transporte de T'Challa. A mistura de paisagens africanas com tecnologia acabou casando muito mais que o esperado, houve uma evolução na palheta de cores da Marvel desde Guardiões da Galáxia e agora nesse novo trailer podemos ver no modo como Wakanda parece todo um mundo a parte do nosso, um mundo que ainda precisa ser explorado.

O preço de ser rei


Um dos temas que o filme provavelmente irá abordar será o modo como o agora rei T'Challa vai lidar com o peso do manto de liderança, ao longo do trailer temos várias cenas do herói no que parecem ser audiências de outros líderes de outras tribos de Wakanda, o sistema político do país e como o novo Pantera Negra vai com seus súditos parece ser um grande enfoque. E a riqueza de detalhes nas roupas de cada pessoa no fundo apenas aumenta a dimensão da diversidade da cultura de Wakanda e da responsabilidade que pesa sobre T'Challa.

Michael B. Jordan interpretará o vilão Erik Killmonger que é um exilado de Wakanda e um dos inimigos mais notórios do Pantera, nas HQs ele e sua família foram condenados ao exílio por ajudar o vilão Klaue a invadir e atacar Wakanda. No filme, aparentemente, Killmonger deseja ser o rei de Wakanda, vemos ele explodindo o lugar onde Klaue está sendo interrogado e em outra cena duelando com T'Challa.


As Mulheres Guerreiras de Wakanda


Uma das maiores críticas que a Marvel tem recebido ao longo do lançamento de seus filmes tem sido a representatividade em suas personagens femininas, como a ausência de um filme para a Viúva Negra (Scarlett Johansson), porém neste filme há uma abundância de personagens femininas e negras, começando pelas Dora Milaje, que são a guarda real do Pantera Negra, todas elas são guerreiras altamente capazes e letais cujo dever é proteger o rei e manter a paz.


A líder das Dora Milaje, Okoye, será interpretada por nada mais, nada menos que Danai Gurira, a Michone da série The Walking Dead, que não apenas teve seu personagem confirmado nesse filme, como também irá fazer seu retorno em Vingadores: Guerra Infinita, Angela Basset também estará no filme como Ramonda, a mãe de T'Challa. 

Lupita Nyong'o irá interpretar Nakia, uma membro das Dora Milaje e a atriz Letitia Wright vai interpretar Shuri, a irmã de T'Challa, a princesa de Wakanda e inventora que projeta novas tecnologias para o país, no trailer ela aparece com dois socos ingleses de alta tecnologia e em formato de pantera. 
Além disso a atriz Florence Asumba (Emerald City) , que fez uma ponta em Guerra Civil deve retornar como Ayo, uma das Dora Milaje.


Uma guerra se inicia


Klaue também deve ter algum papel dentro a mais dentro da história, temos no trailer ainda uma cena dele com o uniforme de segurança puxando uma arma numa espécie de exposição em algum museu, sabendo que Wakanda é a grande fonte de minério de vibranium, não seria surpresa se nesta cena Klaue esteja roubando algum artefato para criar a sua famosa garra sônica.
Essa evidência somada às cenas das Dora Milaje lutando em público mostra que talvez o mundo acabará descobrindo os segredos tecnológicos do país do Pantera, e isso pode gerar uma guerra.


Em outra cena do trailer podemos ver Everett junto de Ramonda, T'Challa e as Dora Milaje em algum lugar montanhoso e nevado, provavelmente dentro de Wakanda, considerando que o agente é um estrangeiro é muito provável que ele tenha de manter o sigilo do país quando ajudando na missão, mas será que o segredo de Wakanda vai ser mantido por muito tempo depois dos eventos de Guerra Civil?

Teremos de esperar até a estreia do filme para saber como o plot vai se desenrolar, mas já temos alguma ideia de que o filme será no mínimo extremamente importante e impactante, seja por suas cenas de ação, seja por seu elenco diverso. Pantera Negra tem a estreia prevista para dia 16 de fevereiro de 2018.


Créditos:

Texto: Felipe Cavalcante

O artigo apresenta as opiniões e ideias do autor do texto e não do site Co-op Geeks.


Thirteen Reasons Why é uma das séries mais recentes da Netflix. A série aborda diversos assuntos, como bullying, a falta de preparação dos profissionais escolares ao instruir pessoas nos temas que permeiam os adolescentes, além de problemas psicológicos, problemas sociais e familiares. Contudo, ela gira em torno de uma personagem que já está morta. Será que vale a pena continuar a trama e de que modo isso poderia ser feito?

ATENÇÃO: Este post CONTÉM SPOILERS da primeira temporada de Thirteen Reasons Why se você ainda não assistiu, prossiga por sua conta em risco.


"Os Treze porques" é uma adaptação do livro de mesmo nome, escrito por Jay Asher. A série conta a história de Hannah Baker (Katherine Langford) uma garota que estava no colegial e que, devido a uma série de acontecimentos com sua vida, decidiu cometer suicídio. Clay (Dylan Minnette), o protagonista, recebe várias fitas sem saber o motivo e descobre que todos que recebem estas fitas estão nelas. As fitas são gravações de Hannah, explicando os motivos que a levaram a cometer suicídio e como essas pessoas estão ligadas à isso, sendo, o próprio Clay, um dos "porquês" que levaram Hannah Baker a tirar a própria vida.

Em menos de uma semana de lançamento a série teve uma fan-base absurda, deixando o nome marcado na história da Netflix, sendo a série mais conhecida e popular em menos tempo. A série também nos marca por sua trilha sonora maravilhosa, que conta com Selena Gomez, Joy Division, Billie Eilish, The Cure e muitos outros. Playlist Oficial de Thirteen Reasons Why.

Um mês depois do lançamento, foi anunciada a segunda temporada de Thirteen Reasons Why para 2018 e a questão que fica é: Será que deveria existir uma segunda temporada?

A mensagem de Thirteen Reasons Why é sobre os seus atos, repensar as suas atitudes, na forma que você trata as pessoas, no jeito em que você julga os outros sem saber o que acontece na vida deles. Em pequenas atitudes que você pode mudar o dia de alguém e a vida de alguém. A primeira temporada mostrou os "Motivos" e a segunda mostraria as "Consequências"?


Thirteen Reasons Why é uma série que causa um grande impacto e grande identificação nos telespectadores, em um universo "inventado", porém realista. Esta temporada mostrou Hannah Baker e os motivos que a levaram a cometer suicídio, trazendo uma identidade, uma essência á série que, talvez prolongando sua história, seja por "lucro" ou por ter uma grande fan-base, pode acabar sendo uma má ideia. A série em si atende expectativas por ser realista e "pesada" para pessoas que estão em situações como a de Hannah. Fazer uma segunda temporada com personagens sendo presos, ou qualquer coisa do tipo, poderia ser feito em uma "mini-série", em poucos episódios, pois os jovens estariam terminando o ensino médio na primeira temporada, no cenário principal que é a "Escola Liberty".

Contra isso temos uma fan-base enorme, aclamando por mais Hannah e Clay, ou ver alguns personagens se dando mal, mas vale lembrar que Hannah Baker morreu, se não fossem as fitas não teríamos nem um diálogo de Hannah Baker, as imagens e pensamentos que vemos de Hannah só estão na série por causa das fitas. Ao perceber isso os fãs se revoltariam e suas expectativas teriam um fim? A Netflix iria criar um roteiro onde Hannah "vive no pensamento de alguns personagens"? Isso não soaria enjoativo? A série manteria sua essência e identidade, se mantendo nos trilhos? Nos resta esperar e ver se a Netflix consegue superar essa maravilhosa série!

Créditos:

Texto: Gabriel Borges
Revisão: Bruno Bolner

O artigo apresenta as opiniões e ideias do autor do texto e não do site Co-op Geeks.

Piratas do Caribe estreou e, como era de se esperar, traz seus personagens icônicos para mais uma aventura nas telonas. O filme revive, mais uma vez, a fórmula dos outros filmes, tem cenas hilárias, ótimos efeitos especiais e maquiagem e um enredo divertido, com direito a nostalgia aos primeiros filmes. Subam a bordo e icem as velas.

Enredo
Em A Vingança de Salazar, temos o primeiro grande inimigo de Jack Sparrow, Salazar, querendo se vingar de todos os piratas do mundo, começando por Sparrow, pela maldição que o nosso pirata favorito o acometeu, quando era apenas um aprendiz de pirata. Para isso, Salazar, que está preso no Triângulo do Diabo com seus espectros, envia o jovem Henry para entregar uma mensagem à Sparrow e, nesse trajeto, o rapaz, que está procurando um meio de acabar com a maldição de seu pai, acaba encontrando Carina, uma astrônoma que quer conhecer mais sobre seu passado e encontrar o Tridente de Poseidon, uma relíquia que controla o poder de todos os mares. Os dois, Henry e Carina, acabam se juntando à Sparrow e Barbossa nessa aventura pelos mares, enquanto Salazar os persegue buscando cumprir sua vingança.

Personagens


Os personagens que retornam neste filme trazem seus trejeitos característicos, mas não são mais tão carismáticos quanto antes. Sparrow continua sendo Sparrow, sempre com uma resposta inusitada na ponta da língua, seus trejeitos malemolentes e engraçados, porém, parece que o personagem perde o ar da graça em alguns momentos. Já Barbossa, retorna com seu troca-troca de lado, se juntando ora com Salazar, ora com Sparrow, ora com ele mesmo, fazendo seu próprio jogo para continuar como o rei dos mares. Ambos sofrem com atuações mecanizadas e questionáveis.

Dos personagens novos, Henry e Carina tinham potencial, mas foram pouco desenvolvidos, sendo utilizados apenas para fechar as pontas do enredo e justificar a utilização de certos elementos. Os dois são introduzidos para substituir os papéis de Will e Elizabeth Swan, da primeira trilogia, mas os personagens não conseguem chegar lá, ficando de suporte para o desenvolvimento da trama. Os diálogos entre eles, na maioria birrinhas à lá Will e Swan, chegam a ser um tanto patéticas, com direito a piadas sem graça e tudo. Enquanto Henry quer encontrar uma forma de acabar com a maldição de seu pai, Carina traz uma nova lenda, carregada com ela desde que fora deixada num orfanato. Seu único bem de família é um livro, que remete ao Mapa Que Os Homens Não Podem Ler, lembrança deixada por seu pai e que a motiva na sua busca pelo Tridente.

Salazar é o personagem que salva os novatos, e as atuações em geral. Cheio de malícia e força de vontade, o vilão da vez é um cara decidido e faz o que quer, e o que pode, para acabar com Sparrow. Totalmente sem piedade, ele destrói todo e qualquer navio pirata que encontra e mata praticamente toda sua tripulação, deixando apenas uma pessoa viva para contar a história. Seu ódio é sentido nas palavras que pronuncia.

Fórmulas



Falando dos efeitos do filme, eles são incríveis. Desde o assalto à um banco até as batalhas nos mares, os detalhes são sensacionais. Com exceção da animação do Jack Sparrow jovem, é um elemento que toda a franquia sempre soube utilizar. A trilha sonora também é um ponto positivo do longa. Já os efeitos 3D não são tão interessantes, então, se não quiser pagar um preço tão alto, a experiência tradicional será praticamente a mesma.

Os diálogos, por mais que tragam algumas sacadas bacanas, são falhas nas suas piadas, reutilizando fórmulas que funcionaram nos primeiros filmes, mas que não servem mais. A construção de momentos dramáticos ou românticos são pobres, sem deixar espaço para o espectador se sensibilizar com a cena. Em contrapartida, as cenas de ação e aventura são bem ensaiadas e cumprem bem seus papéis.

Enquanto a franquia sabia introduzir novos personagens nos filmes anteriores, em A Vingança de Salazar isso não acontece. Mesmo com as reviravoltas em seus núcleos, eles não conseguem ser interessantes e são ofuscados pelos demais. Até os piratas de Sparrow acabam sendo mais carismáticos. Vale ressaltar a participação especial de Paul McCartney, que foi um dos pontos altos do filme.

No fim das contas, o filme é divertido, tem boas doses de humor e traz algumas cenas hilárias, além de resolver pontas soltas dos filmes anteriores. Porém, com ele, percebemos que a fórmula de sucesso de Piratas do Caribe está ficando defasada e precisa ser revista. Ou a guerra é ganha, ou o barco afunda!

Créditos:

Texto e Revisão: Bruno Bolner

O artigo apresenta as opiniões e ideias do autor do texto e não do site Co-op Geeks.

O anúncio do cancelamento do filme da série de quadrinhos dos Inumanos da Marvel, foi logo seguido das notícias de que ainda veríamos os personagens de Attilan, porém no formato de uma série de TV, e, além disso, foi anunciada a série de Os Fugitivos - um grupo de adolescentes que resolvem fugir dos seus pais após descobrirem que seus pais são super-vilões.

As ligações com Agents of S.H.I.E.L.D



A primeira incursão da Marvel em ligar o Universo Cinematográfico com uma série de TV, não contando as produzidas pela Netflix, foi com a série Agents of S.H.I.E.L.D. que focaria em personagens secundários em missões liderados pelo agente Coulson, e, foi na segunda temporada em que tivemos a introdução dos Inumanos.

Os Inumanos são uma raça escondida de super-humanos com diferentes poderes cada um, criada pelos Kree que buscavam formar armas de guerra através de manipulação genética há milhões de anos atrás, eles foram abandonados por seus criadores, mas seus descendentes guardaram a tecnologia usada para destravar os seus poderes - a Névoa Terrígena - e vivem numa sociedade secreta em algum lugar chamado Lai Xi, nas HQs os Inumanos vivem numa cidade chamada Attilan, que permanece escondida na Lua, mas pelo menos uma vez já se deslocou para os Himalaias.

A introdução dos Inumanos na série, porém, era uma preparação para o filme que seria lançado em torno de julho de 2019, agora a série que será protagonizada por Anson Mount (Hell on Heels), como Raio Negro, Serinda Swann, como Medusa e Iwan Rheon (Game of Thrones) como o vilão Maximus.

Inumanos aka. X-Men



Enquanto a Fox conseguiu atrair muita atenção do público e da crítica com Legion e agora planeja expandir o Universo dos X-men com uma série sobre a X-Force, os Inumanos serão apresentados, porém o que não se pode deixar de notar tem sido a forma como a Marvel tem respondido à esse sucesso: decisões corporativas tem afetado decisões criativas, desde a mudança da origem da Feiticeira Escarlate e do Mercúrio até uma certa "vilanização" dos mutantes.

E agora os Inumanos parecem servir como uma substituição para os mutantes. As similaridades acabam sendo muito visíveis: um grupo de pessoas que acaba sendo afastada dos seres humanos, com poderes diversos e imprevisíveis, alguns com aparência esdrúxula e que estabelecem sociedades paralelas à nossa. Além da gama de poderes que acabam sendo muito parecidos com a dos X-men, por exemplo, a incontinência de poder que é a visão do Ciclope e a voz do Raio Negro.

Retomada do projeto cancelado

Os Fugitivos era o primeiro que Marvel tinha como iniciador do seu Universo Cinematográfico, porém, acabou sendo substituído pela construção dos Vingadores, o projeto foi arquivado em torno de 2013, mas agora voltou em formato de série de TV, produzido por Brian K. Vaughan, que havia sido chamado para o projeto desde o começo, então já possui uma afinidade com os personagens.

Os personagens que já foram confirmados na série incluem: Alex Wilder, que tem super-inteligência; Nico Minoru, uma wiccana com poderes mágicos; Karolina Dean, cujos poderes incluem a refração de luz solar; Chase Stein, que rouba tecnologia de ponta de um laboratório secreto; Gert Yorkes, que tem uma conexão telepática com um dinossauro e Molly Hernandez, que é invulnerável e tem super-força. Porém não se tem informações sobre as conexões que a série terá com o resto do Universo Marvel ou mesmo se ela fará parte integrante dele, Kevin Feige que tem sido o grande orquestrador de todo o MCU tem escondido um pouco o futuro de ambas as séries e de como elas vão se fazer presentes.

A série de Os Fugitivos tem estreia prevista para o início de 2018, e será transmitida online pelo serviço de streaming da Hulu e o primeiro episódio de Os Inumanos será transmitido em cinemas IMAX a partir de 1º de setembro, e depois transmitido pelo canal ABC.




Créditos:

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima


Corra! (Get Out) Um dos grandes motivos para toda a atenção que o filme recebeu foi o fato dele embasar em uma questão bem delicada: racismo. Intitulado pelo diretor como sendo um thriller social, Corra! aborda o terror na visão afro-americana - mesclando questões sociais e seus efeitos nos indivíduos. Porém, não é um filme sobre racismo. É um filme que usa racismo como uma ponta de ligação de toda trama. Há uma grande diferença.



Chris (Daniel Kaluuya) é um jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.

Daniel Kauluya, apesar de ter poucos trabalhos, já é bem conhecido. Ficou conhecido por causa de um episódio de Black Mirror, onde já conseguiu fãs pela sua atuação. O ator, novamente, se destaca pela sua interpretação, conseguindo se adaptar a vários momentos (inclusive, ele assinou para estrelar outro trillher). Outros atores, apesar de não terem grandes nomes, também se saem bem em suas atuações, sendo totalmente satisfatório.

Jordan Peele, diretor estreante, trabalhou, em sua maior parte, com filmes de comédia. E apesar de não ter experiência com filmes de terror, ele se sai muito bem – com toda a atmosfera aprisionadora e perturbadora.


Com orçamento de apenas 4 milhões, o filme já arrecadou mais de 200 milhões (será que um branco perseguido por negros daria tanto sucesso?). O filme é um sucesso de bilheteria e crítica. É um dos poucos filmes que tem 99% no Rotten tomatoes. Mas, não vá assistir esperando uma obra prima do gênero (muito longe disso). É o tipo de filme que você terá o prazer de assistir apenas uma vez.

Não se engane ao querer utilizar este filme como referência em algum debate. O preconceito é usado de forma superficial e, na verdade, no final do filme, você percebe que a cor de pele é apenas um mero detalhe. Existem outros títulos de terror que abordam de forma bem mais profunda o racismo, como, por exemplo, Cão Branco (1981).

Por fim, apenas vá correr para assistir essa obra que, sem dúvidas, é uma das melhores do ano.

Créditos:

Texto: Mateus Henrique
Revisão: Bruno Bolner

O artigo apresenta as opiniões e ideias do autor do texto e não do site Co-op Geeks.



Com o primeiro trailer oficial da adaptação da obra de Stephen King (Carrie, O Iluminado e A Hora do Vampiro) liberado nesta quarta-feira (04), veio o hype em torno dos fãs que há muito tempo esperam uma adaptação da série de livros e daqueles que se surpreenderam em o quanto Idris Elba, que será Roland Deschain, o Pistoleiro, pode ser badass com um par de pistolas.

Esta adaptação que deverá cobrir o primeiro livro, mais alguns aspectos dos outros volumes da série vai começará a franquia que não somente vai se estender em cinco filmes, mas também uma possível série de TV e o trailer foi apenas uma pequena prova do que virá em breve.



O Homem de Preto fugia pelo deserto e o Pistoleiro ia atrás...

No trailer temos logo a premissa básica sendo apresentada: o Pistoleiro, o último remanescente de uma ordem de protetores, busca a Torre Negra - o centro de todos os mundos - para protegê-la e impedir que Randall Flagg, o Homem de Preto (Matthew McConaughey) possa destruí-la e assim se tornar o deus supremo de todos os universos.

Porém, o que o Pistoleiro não contava é que ele acabasse tendo ajuda do garoto Jake Chambers (Tom Taylor) que tem estranhas visões durante seus sonhos. Uma pequena inversão de papéis foi colocada no filme, porém, enquanto que a história se inicia com uma perseguição de Roland tentando alcançar o Homem de Preto através do deserto, parece que começaremos tudo pela visão de Jake e como ele veio parar no mesmo lugar onde o Pistoleiro estava.

Além disso outras pequenas mudanças na linha temporal foram feitas, pois a cidade de Lud, que é uma locação importante nos livros seguintes já tem a sua aparição, além de possíveis flashbacks sobre o passado de Roland.




Referências e mais referências!

A série A Torre Negra é uma das obras mais importantes de Stephen King não apenas pela construção da narrativa ou pelo tempo que levou para ser concluída, mas também porque ela costura inúmeras obras do autor todas juntas.

Nos livros, referências à outros livros de King, lugares, personagens e eventos acontecem esporadicamente, e, já no trailer percebe-se que isso será mantido: os olhos mais atentos notaram que a foto na mesinha do psicólogo que atende Jake é do Hotel Overlook, o lugar onde se passa a trama de O Iluminado e enquanto explorando o mundo de Roland, Jake se depara com o que parece ser a ruína de um parque com uma estátua caída de um palhaço com balões e a palavra Pennywise num arco de ferro, referenciando o vilão de A Coisa. 

Além disso, bem no início da produção do filme uma foto foi liberada por Stephen King, onde se via o Corno de Eld e as palavras "uma última vez", que para quem leu os livros dá um significado completamente novo para essa adaptação.

O Pistoleiro Chega a Torre

Uma adaptação da série de livros tem sido discutida desde 2007, mas tem passado por um inferno de desenvolvimento por uma série de razões, além da complexidade da obra, J. J. Abrams, o criador de Lost e diretor de Star Wars: o Despertar da Força, manifestou interesse em dirigir os filmes, mas infelizmente foi obrigado a se afastar por causa da demanda de muitos projetos. 

O roteiro desse filme, agora é assinado por Jeff Pinkner e Akivia Goldsman, e a produção é de Ron Howard, que também havia sido cotado como diretor, mas passou a direção para Nikolaj Arcel, que deixou a estreia prevista para 4 de agosto deste ano.



Tudo o que podemos esperar é descobrir quem vai chegar à Torre primeiro e em que mãos o destino de todos os mundos vai estar. É só isso e lembrem-se: longos dias e belas noites.



Créditos:


Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

Reviews

Previews

Artigos

Vídeos