Menu

 

Imagem da capa: fundo preto com a ilustração de Morfeus, uma figura masculina muito pálida, envolta num manto negro e com cabelos negros muito longos e bagunçados, erguendo uma mão com areia escorrendo dela e levando com a outra o dedo aos lábios em sinal de silêncio e um círculo branco por trás.


O autor Neil Gaiman (Coraline, Stardust e O Oceano no Fim do Caminho) confirmou em sua conta pessoal do twitter que a adaptação da sua obra mais famosa, a série de HQs Sandman que está sendo adaptada para uma série numa colaboração da Warner Bros. com a Netflix já iniciou as filmagens e que o elenco da primeira temporada já foi escalado.


As gravações que se iniciaram na quinta-feira de 15 de outubro trarão à vida a adaptação dos dois primeiros arcos dos quadrinhos: Prelúdios e Noturnos e A Casa de Bonecas, além disso Gaiman confirmou que muito em breve o elenco completo da série deve ser revelado oficialmente, embora ele só tenha dado pistas de que alguns personagens como Lúcifer já tem um ator definido no papel e outros ainda não. 


A série em quadrinhos conta a longa e intricada história de Sonho, também conhecido como Morfeus, um ser antigo e poderoso e a personificação do sonho e da imaginação. Ele é um dos Perpétuos, um grupo de sete entidades que inclui Desejo, Destino, Destruição, Desespero, Destino e Morte. E se inicia quando Morfeus que é capturado por engano por um grupo de bruxos, escapa depois de 70 anos aprisionado, e então deve retomar o seu poder, o seu reinado, o mundo do Sonhar e confrontar seu passado e diversas histórias inacabadas. A série Sandman foi premiada com um Fantasy World Award e um Hugo Awards, também foi a primeira HQ a entrar na lista de best-sellers literários do The New York Times


A adaptação em série que foi anunciada em torno de julho de 2019 e está em produção desde então estava prevista para estrear em torno do ano que vem, mas deve chegar na Netflix em torno da segunda metade de 2021.


Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima



Imagem de capa: fundo verde com ilustrações de floresta com a nova Mulher-Maravilha, Yara Flor, uma mulher de feições indígenas, cabelos negros, usando uma tiara dourada com uma estrela e um uniforme vermelho e azul com uma armadura dourada por cima e lançando o seu laço da verdade dourado pelo ar.


A DC Comics está se renovando e introduzindo novos personagens para assumirem os mantos de seus maiores heróis na nova saga da Liga da Justiça, e fomos apresentados à uma nova Mulher-Maravilha que é brasileira: Yara Flor


Na última semana, a DC Comics apresentou os seus planos de renovar seus personagens com um universo chamado Future State, com histórias que se passarão em 2030 e irão integrar figuras clássicas como Superman, Batman, Aquaman e etc. e novos personagens. 


Yara Flor, a nova Mulher-Maravilha será uma Amazona brasileira com conexões com tribos amazônicas refletindo às lendas de tribos de mulheres-guerreiras que viveriam escondidas às margens do Rio Amazonas, e segundo uma entrevista com o editor do grupo do Superman, Jamie S. Rich, ela será uma imigrante nos Estados Unidos, sendo diferente de Diana no sentido de que enquanto temos uma deusa sendo uma a Mulher-Maravilha, com Yara teremos "uma humana aprendendo a ser uma deusa" e a artista Joëlle Jones, confirmou recentemente que se inspirou na atriz e modelo brasileira Suyane Moreira para o design da personagem.


Imagem: a personagem Núbia, uma mulher negra com os cabelos trançados, no uniforme dos Novos 52 da Mulher-Maravilha, com a parte de cima em vermelho e uma águia dourada no peito, calças azuis, braceletes prateados com símbolos de estrelas em vermelho e a tiara dourada com uma estrela, surgindo num fundo de céu e dizendo "Você pode me chamar de Mulher-Maravilha".

Mas além dela teremos o retorno da amazona Núbia, a meia-irmã de Diana, uma mulher guerreira negra que já até mesmo assumiu anteriormente o manto de Mulher-Maravilha para a nova leva de HQs.



A previsão é que a nova saga de HQs da DC Comics sejam publicadas já no início de 2021.


Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima



 

Imagem de capa: imagem dos quadrinhos que traz o Super-Choque, um adolescente afro-americano com cabelos longos, uniforme com tons de azul e amarelo, um par de óculos amarelo, voando entre os prédios e com as mãos soltando raios de energia azul, e num canto, o ator Michael B. Jordan.

O site Hollywood Reporter confirmou nesta sexta-feira (16) que o ator Michael B. Jordan (Creed) irá produzir o filme live-action de Super-Choque em conjunto da Warner Bros. por meio do seu selo criativo Outlier Society


Em entrevista o ator comentou a oportunidade: "Tenho orgulho de fazer parte da construção de um novo universo centrado em heróis negros. Nossa comunidade merece isso."


A notícia do filme solo do herói tinha sido dada em um painel exclusivo da DC FanDome numa conversa com os criadores da Millestone Comics, uma divisão de HQs que foi incorporada pela DC Comics nos anos 90 e que publicou a primeira aparição do herói Virgil Hawkins, um adolescente afro-americano que ganha poderes eletromagnéticos após ser exposto à uma explosão de um gás e assume a identidade de Super-Choque.


O filme solo do Super-Choque ainda não tem data definida de estreia ou início de produção.


Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima



 

Imagem de capa: duas meninas numa floresta, uma é baixinha e ruiva, com os cabelos enormes e cheios de folhas e flores, olhos verdes e uma roupa verde com botas marrons e outra, loira, de olhos azuis, com roupas verdes e uma capa longa e preta, as duas estão cercadas por lobos que surgem entre as árvores.


A animação Wolfmakers dirigida por Tom Moore e Ross Stewart do mesmo estúdio do indicado ao Oscar de Melhor Animação Song of The Sea (2014) ganhou o seu trailer oficial, além de data de lançamento na plataforma de streaming da Apple TV.


A sinopse da animação conta uma história de magia, amizade e aventura nos cenários da Irlanda:

Em um tempo de superstição e magia, a jovem aprendiz de caçador, Robyn Goodfellowe, viaja até a Irlanda com o seu pai para exterminar a última alcateia de lobos. Mas enquanto explora as terras proibidas além dos limites da cidade, Robyn acaba se tornando amiga de Mebh, uma garota selvagem e parte da tribo dos Caminhantes de Lobos, que segundo a lenda se tornam lobos durante a noite.

Enquanto as duas partem numa busca pela mãe desaparecida de Mebh, Robyn descobre um segredo que a leva mais fundo no mundo encantado dos Caminhantes de Lobo e que arrisca por em perigo tudo o que o seu pai jurou destruir.



'Wolfwalkers' deve estar disponível para streaming pelo serviço da Apple TV+ em 11 de dezembro.


Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima



 


A plataforma de streaming HBO Max irá adaptar a HQ Lumberjanes de Noelle Stevenson, a showrunner de She-Ra e as Princesas do Poder da Netflix.


A HQ foi criada em conjunto por Shannon Watters, Grace Ellis, Brooklyn A. Allen e Noelle Stevenson e teve seu primeiro volume lançado em 2014 pela BOOM!Studios conta a história de um grupo de garotas: April, Jo, Mal, Molly e Ripley que se tornam amigas depois de frequentar um acampamento de verão, o Acampamento Miss Quinzella para Moças do Tipo Duronas, mas acabam percebendo estranhas criaturas e fenômenos sobrenaturais rondando o acampamento e precisam lidar com suas diferenças para desvendar os mistérios daquele lugar. A HQ foi reconhecida no Prêmio Eisner de quadrinhos e ganhou um troféu da GLAAD pela representatividade LGBTQIA+ trazida na história.

Uma adaptação de Lumberjanes tem estado nos planos de Hollywood já faz algum tempo, sendo que uma série animada havia sido inicialmente produzida para a Netflix e um filme live-action já tinha sido planejado pela 20th Century Fox, antes da aquisição da Disney que cancelou diversos projetos futuros do estúdio.


A adaptação de Lumberjanes da HBO Max terá a própria Noelle Stevenson como roteirista e produtora, mas ainda não tem previsão de estreia.



Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima



 

Este ano parece que foi o ano deles! As histórias de zumbis estão voltando em filmes, séries e até games. O sucesso do game The Last Of Us 2 neste ano abriu espaço para o debate: afinal, os zumbis de hoje em dia são os mesmos de antigamente?

O filme sul coreano #alive do diretor Cho Il-hyung, baseado no livro Alone, de Matt Naylor, entrega uma história de sobrevivência cruzando pelo menos dois tipos de histórias que já conhecemos bem: garoto-encontra-garota e apocalipse zumbi.

Disse pelo menos dois tipos, porque a narrativa também usa elementos de histórias de superação de traumas pessoais e entre relacionamentos familiares, o que é uma novidade para o gênero. Quando pensamos em zumbis, pra maioria de nós, pensamos na saga Resident Evil, sim ou sim? Sobrevivência pura, adrenalina a mil. Mas os tempos são outros, há uma tendência em explorar as diversas interpretações desta imagem do zumbi. Que mensagem a presença deste tipo de personagem quer passar? Bom, isso depende.

Nesta produção da Netflix que estreou no último 08 de setembro, o zumbi pode funcionar como uma máscara, muito semelhante à máscara que o vilão Espantalho usa em Batman Begins. Uma máscara que deforma traços de humanidade, para quem não foi infectado pelo vírus fica evidente que o zumbi já não é mais um ser humano. Mas, é aí que #alive se diferencia um pouco das demais histórias do cinema.

Cenas como a da adolescente estudante e sua mãe na calçada ou a do marido que mantém a esposa zumbi trancada no quarto faminta intensificam o problema, humano ou não humano? Eis a questão. Em Batman Begins, a máscara do Espantalho associada ao alucinógeno criava um vilão grotesco, apavorante, um vilão que despertava o pânico nas pessoas. Atordoadas, as vítimas duvidavam se aquilo, o Espantalho, ainda era um ser humano.

Yoo, o jovem que acompanhamos na história de #alive se depara com esta questão em diversos momentos enquanto tenta encontrar uma maneira para se manter vivo. Embora o diretor tenha revigorado o gênero, sua fonte de inspiração é bem antiga na verdade. Mitos da Mitologia Grega estão presentes em praticamente todas as obras de ficção e serviram para dar uma dramaticidade mais pungente às criaturas de #alive.

Quem tiver bom faro para discussões políticas, vai perceber também onde mora a solução para o problema de sobrevivência do casal. O filme tem uma das cenas finais mais ácidas para filmes do gênero.

Enquanto assiste o filme, e se você jogou ou conhece a história de The Last Of Us, vai lembrar do que o personagem do game Joel dizia à Ellie, que a vida agora era aquela tal qual como se apresenta.

A busca pela cura em um apocalipse zumbi não parece ser o cerne da questão na grande maioria dos filmes. A solução proposta para garantir a sobrevivência geralmente caminha para o lado liberal da política. Aliás, é bem possível que “a cura”, neste tipo de narrativa, esteja associada ao autoritarismo e à ideologias totalitárias.

E aí é bom pensarmos no público que o diretor tinha em mente quando decidiu fazer este vídeo. Talvez, o jovem de hoje esteja buscando nas tecnologias de comunicação um modo de escapar de seu próprio apocalipse financeiro e emocional, sem se importar muito sobre o futuro da humanidade. Mas ops, é aí que #alive surpreende outra vez. Será que “não se importar muito com o futuro da humanidade” não é também um posicionamento político? A pergunta que surge no final do filme é: e agora, Yoo? Como é que se lida com a vida agora?

Sobreviver ao apocalipse parece não ser tão difícil assim quando nos deparamos com o fato de que vamos ter que continuar vivendo no meio desse caos total. Vamos precisar de máscaras, opa, de meios para justificar nossas escolhas.

O destaque da edição vai para a cena de transformação do zumbi e a sequência de planos e cortes seguinte. O que ficou faltando foi uma trilha sonora mais impactante.

Créditos

Texto e revisão: Valentina Gaztañaga

O texto apresenta as opiniões do autor do artigo e não do site Co-op Geeks.

 

Imagem de capa: Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate e o Visão, numa foto em preto e branco, vestidos com roupas de época da década de 30, como que saídos de uma sitcom americana antiga.

Wanda Vision, a próxima série da Marvel para a Disney Plus ganhou um trailer nesse domingo (20) com mais novidades sobre a trama que deve focar na Feiticeira Escarlate (Eisabeth Olsen) e no Visão (Paul Bethany).




O trailer inicia com um logo da Marvel Studios em preto e branco sendo exibido numa tela de televisão antiga ao som da clássica música Twilight Time do The Platters e cenas do Visão e da Feiticeira Escarlate saindo num carro com a placa de recém-casados e dançando na sala de sua casa nova.

Gif: cena do trailer, em preto e branco, na qual Wanda transforma o rosto robótico de Visão em humano, enquanto ele está vestido com terno e chapéu, como que indo trabalhar. A Vizinha Fofoqueira, interpretada por Kathyrm Hahm, num vestido de época indo abrir a porta e Wanda fazendo o jantar ser servido com um gesto de mágica parecido com a série A Feiticeira.

A série deve cobrir diversos tipos de sitcoms americanas e o trailer mostra diversas pequenas referências a esse tipo de entretenimento televisivo, desde I Love Lucy até A Feiticeira, com direito à referências aos típicos personagens dessas séries, com a atriz Kathyrn Hahn interpretando uma personagem conhecida como a Vizinha Fofoqueira, mas que pode ser bem mais do que aparenta...


Uma das teorias que tem circulado pela razão que Wanda e o Visão estariam nesse mundo da televisão seria de que as séries americanas, especialmente as comédias sitcom, sempre foram vendidas e exportadas para países estrangeiros e exibidas de uma maneira que estão sempre reprisando. Assim, Wanda poderia ter um conhecimento sobre como seria uma "vida ideal americana" por ter assistido todas essas séries em seu apartamento abandonado em Sokóvia, ou, numa tentativa de aprender mais sobre a cultura americana, e acaba projetando a existência dessas séries como a vida feliz que ela gostaria de ter.


Gif: Visão e Wanda em sua sala, percebendo que estão voltando a ter cores. Visão e Wanda dançando na cozinha com roupas dos anos 60. Wanda segurando um bebê na sala. Wanda numa fantasia de Halloween do seu uniforme das HQs dançando ao pé de uma escada.

Mas aparentemente nem Wanda e nem o Visão sabem porque estão ali naquela dimensão paralela de séries de televisão, como eles são confrontados numa mesa de jantar com seus novos vizinhos, apesar, da Feiticeira Escarlate ainda ter os seus poderes e a a habilidade de mudar as coisas, como vemos no trailer, e, aparentemente a série da sua vida foi renovada para várias temporadas, porque temos uma cena deles retomando a cor e mudando por várias épocas e estilos de sitcoms.

E não apenas isso como temos uma pequena visão dos gêmeos que ambos acabam tendo nas HQs: Wiccano e Célere, que nos quadrinhos fazem parte da equipe dos Jovens Vingadores.


E aparentemente teremos mesmo um episódio de Halloween, pois temos uma cena do Visão fantasiado com a sua roupa original das HQs, andando pelas ruas com várias crianças em outras fantasias, provavelmente já bem desconfiado daquela existência toda. 

Além disso temos uma cena da personagem Vizinha Fofoqueira vestida de bruxa num carro sendo acordada de um transe e perguntando do Visão se ela está morta. Ele pergunta porque ela estaria morta e ela responde: "porque você está" e começa a rir.


Isso parece confirmar que ela fará o papel da bruxa Agatha Harkness, uma personagem que tem poderes mágicos e viveu desde o julgamento das bruxas de Salém, sempre surgindo em alguns momentos nas HQs com seus próprios desígnios. Agora, se ela está sendo cúmplice ou não na dimensão televisiva onde Wanda e Visão estão vivendo, não parece muito claro ainda.


Imagem: a personagem Monica Rambeau, uma mulher negra, olhando diretamente para a frente, caída num gramado escuro.

E no final do trailer temos a aparição da personagem Monica Rambeau, agora adulta e interpretada pela atriz Teyonah Paris que aparentemente estará trabalhando para a S.W.O.R.D. - uma agência ligada à S.H.I.E.L.D. que lida com a vigilância e proteção da terra de proporções inter-dimensionais - e ela é jogada para fora da dimensão televisiva de Wanda e Visão. 


Gif: o logo de Wanda Vision, com as letras todas conectadas entre si, falhando como a estática de uma televisao e o fundoo em vermelho.

Para descobrirmos o que vai acontecer em seguida, pelo visto teremos que assistir a série. Wanda Vision está confirmada para estrear no Disney + no final deste ano.



Créditos


Texto: Felipe Lima

Revisão: Felipe Lima




Reviews

Previews

Artigos

Vídeos