Menu


Neste sábado (25) foi liberado o primeiro trailer oficial de Liga da Justiça, dirigido por Zack Snyder e agora reunindo o Batfleck e a Mulher-Maravilha (Gal Gadot) com o Aquaman (Jason Momoa), o Ciborgue (Ray Fisher) e o Flash (Ezra Miller). O trailer que foi anunciado com dois dias de antecedência foi antecipado por vários teasers de poucos segundos, já mostrando o tom do filme e aumentando exponencialmente o hype para quem já estava quase desistindo do DCEU (Universo Expandido da DC Comics), claro, a qualidade e a recepção que os fãs terão só saberemos na estreia, mas, enquanto isso, podemos especular por todo o material que já foi lançado sobre o que pode acontecer nesse filme.


Reunindo seus Super-amigos



A primeira imagem que temos no trailer é de Bruce Wayne (Ben Affleck) chegando num pequeno vilarejo isolado em algum lugar cheio de neve, filmados em locações externas na Islândia, onde ele vai encontrar Arthur Curry, o Aquaman. 

Enquanto isso a narração de Diana Prince, a Mulher Maravilha, vai fazendo questão de deixar clara a razão pela qual os heróis precisam se unir: "o perigo já está aqui". E Bruce está indo atrás dele para recrutá-lo como aliado contra uma força perigosa que está vindo.

Uma referência ao vilão do filme que foi apresentado na versão estendida de Batman vs. Superman: o Steppenwolf, que está ligado à um dos mais poderosos e perigosos supervilões da DC, o Darkseid. Sabe-se que inicialmente, o Aquaman vai recusar o chamado, mas por qual motivo ele mudará de ideia, ainda é um mistério.

Mas quem não recusa o chamado, nem pensa duas vezes antes de se juntar ao Batman, será o Flash, que não apenas se junta a Liga porque "precisa de amigos" como também vai ser um dos maiores alívios cômicos do filme. A cena do recrutamento dele, que já foi apresentada no primeiro trailer da Comic-Con San Diego mostra Bruce Wayne entrando no que parece ser seu posto secreto, uma espécie de armazém ou galpão, será mais extensa no filme com o Barry Allen afirmando inicialmente que não é o Flash, mas apenas "um rapaz judeu atraente completamente normal" pelo menos até ele descobrir que está falando com o próprio Batman...



As Caixas Maternas



O MacGuffin do filme serão as Caixas Maternas, três supercomputadores vivos e conscientes de alta tecnologia criadas pelos Novos Deuses, tem poderes incríveis e desconhecidos e foram entregues para as três espécies que habitavam a Terra: os Atlantis, as Amazonas e os Humanos.

A primeira Caixa já foi revelada numa cena dentro de Batman vs. Superman na qual o cientista Silas Stone (Joe Morton) usa ela para criar um corpo robótico, com iguais partes orgânicas e biomecânicas, para mantê-lo vivo. 

O paradeiro das outras duas caixas ainda é desconhecido, mas provavelmente será a busca por elas que vai avançar o plot, e, supostamente uma já foi vista num fragmento de cena de Atlantis...

Atlantis - Under the sea...


Não, não teremos umas sereias tipo Disney cantando junto dos peixes seria interessante, mas não. Os atlantis estão sendo mostrados, pelo menos até agora, como um povo guerreiro e que quer se manter afastado da humanidade. 

E os poucos vislumbres que tivemos da misteriosa Atlantis foi um teste de efeitos liberado por Zack Snyder e a aparição no trailer de Mera, interpretada por Amber Heard (A Garota Dinamarquesa), o visual dela não somente está combinando com o do Aquaman, com detalhes que remetem a escamas e metais esverdeados.

O que muitos estão especulando é que o papel dela no filme será de decidir entre proteger o seu povo e impedi-los de entrar em uma guerra e ajudar o seu interesse amoroso, Arthur Curry.

Outra dúvida que fica com a aparição de Atlantis no filme seria a construção de terreno para o filme solo do herói-subaquático-mais-amado-das-crianças-e-que-não-é-o-Homem-Sereia e que obviamente deve mostrar bastante da cultura atlântida. O ator Willem Dafoe (Spiderman, Antichrist) foi escalado para o filme como Nuidis Vulko, um conselheiro atlante de Aquaman cujo papel na trama permanece em mistério, há também os boatos de que Kristofer Hivju, também conhecido como o Tormund de Game of Thrones como um Rei Atlante, o que pode de algum modo se conectar com o misterioso tridente de sete pontas que é visto com o personagem de Momoa quando dividindo as águas no maior estilo Moisés e... isso é uma nave no fundo? 



Conflitos Internos 


Uma coisa positiva que parece estar sendo deixada dentro do filme é a construção de conflitos para os personagens. Temos uma pequena cena onde vemos Henry Allen, pai do Flash, interpretado por John Wesley Shipp recebendo uma visita do filho na prisão. Nas HQs o cientista é acusado de ter assassinado a própria esposa e preso injustamente, levando o filho a tornar-se um super-herói na tentativa de capturar o assassino e livrar o pai da cadeia. Esse drama pode ser bem mais explorado no filme se feito certo.

Sem essa figura paterna presente durante o filme, parece que há uma justificativa para o relacionamento Batman/Flash que deverá ser de mentor e aprendiz, semelhante ao que aconteceu com Tony Stark e Peter Parker em Guerra Civil, porém com dois pesos na balança: o pai verdadeiro de Barry está na prisão e o último pupilo do Batman acabou morrendo nas mãos do Coringa.

Outro conflito que pode ser estabelecido será o do Ciborgue, o fato de ele ser humano demais para ser uma máquina e máquina demais para ser humano, e, como isso o isola do resto do mundo. O motivo pelo o qual ele vai ser recrutado não está claro, mas muito provavelmente pode ser pelo fato dele estar de alguma forma ligado à Caixa Materna


O humor, o visual e o tom

Outra coisa que se destacou bastante em tudo o que foi lançado é o clima mais descompromissado e relaxado que Batman vs. Superman, mas ainda não chegando no nível Esquadrão Suicida. O primeiro indício já é a trilha sonora do trailer que inclui White Stripes (Hardest Button to Botton e Icky Thump) e um cover de Come Together dos Beatles por uma banda chamada Godsmack. Os trailers deixam claro que tiradas sarcásticas e referências irônicas ficarão por conta do Batman e do Aquaman, que supostamente terão alguma espécie de rivalidade durante o começo do filme.
Além de claro, o Flash do Ezra Miller:




Porém, apesar do tom mais leve isso não significa que outros aspectos dos filmes anteriores foram abandonados, muito do visual que é um dos pontos positivos do diretor vai seguir a estética suja e escura de Batman vs. Superman, que lhe é tão característica desde filmes como 300 e urgh I don't like spam Sucker Punch. Além disso a escala da ameaça agora é global e tão poderosa que vai precisar unir todos os heróis possíveis.



O visual robótico ameaçador dos Parademônios, os ajudantes infernais de Darkseid originários de Apokolips, se iguala ao visual de batalha do Ciborgue e em mais de uma cena, os cenários que parecem ser naves tem um aspecto que lembra as artes de H. R. Giger para Alien: o Oitavo Passageiro e pode-se ver uma grande batalha entre eles e as Amazonas. Como tudo essas cenas de guerra crua irão se conectar com o tom mais leve do filme, não se sabe ainda.

Mas, sabe-se que a presença da Mulher-Maravilha será mais relevante para a trama e que ela terá mais tempo de tela. Ela ajudará Bruce no recrutamento dos heróis e na primeira luta contra os parademônios dentro de um túnel numa locação: a Ilha Stryker (onde o Crawler do Batman aparece pela primeira vez) e a partir daí se envolverá na busca pelas Caixas Maternas.



E finalmente...

O maior mistério desse filme: a volta do Superman. Depois de ser morto pelo Apocalipse tartaruga ninja no final de BvS, ficou no ar como e quando o Escoteiro Azul faria o seu retorno triunfal, nem os trailers deixaram qualquer pista de algum modo pelo qual Kal-El (Henry Cavill) poderia reviver.

No maior estilo copia não faz igualzinho da morte do Jon Snow, nenhum pôster oficial teve a aparição do Supes ainda. Mas, claro, o trailer mostra Lois Lane (Amy Adams) e deixa margem pra ânsia de saber o que vai acontecer...



Por enquanto isso é tudo o que se pode especular da trama de Liga da Justiça, que tem estreia prevista para 16 de novembro desse ano. Isso é tudo e não se esqueçam: save Martha, save the world!



Para quem tanto esperava, saiu o primeiro trailer de Death Note, a mais recente adaptação de mangás produzida pela Netflix. A grande questão é, será que o filme vai ser fiel ao material original? Como se trata de uma adaptação, não podemos esperar que o filme seja 100% fiel. Nem caberia em 3 horas toda a trama do mangá. Então, já podemos esperar grandes diferenças entre eles. 

Assista o trailer:



Agora vamos às 4 cenas que são as melhores partes do vídeo:

1 - O Death Note

Todo mundo que conhece o mangá ou o anime, ou mesmo os filmes live-action orientais, sabem que o grande facilitador de tudo é o próprio caderno. O Death Note é o grande responsável por toda a trama desenvolvida no mangá, após cair no mundo humano e parar nas mãos de Kira.

A primeira cena do vídeo já nos mostra o caderno, a mais legal de todo o trailer, mostrando-o caindo do céu em câmera lenta, em uma exibição dramática que casa muito bem nesse universo. É como se quisessem nos apresentar todo o clima que estará na versão final do longa. 

Vale notar os detalhes e o aspecto visual do caderno, que ficaram bem interessantes, por sinal.



2 - A silhueta do Shinigami

Shinigamis são deuses da morte. Não são bons, nem maus, apenas tem responsabilidades sobre a vida das pessoas, ou a morte delas. O deus da morte Ryuk nessa adaptação é vivido pelo ótimo Willem Dafoe (Spiderman, Liga da Justiça) e é apresentado de foma bem sutil, em uma das poucas boas jogadas de marketing do trailer em fazer crescer a curiosidade do telespectador.

Sua primeira aparição ocorre em um frame, um piscar de olhos, mostrando somente sua silhueta. É aqui que temos a confirmação de que nosso querido Ryuk não será descaracterizado. 

É pra qualquer deus da morte ajoelhar e glorificar!



3 - A maçã

Os animes e mangás, geralmente, possuem elementos característicos, que sempre são lembrados quando são vistos. Para o filme da Netflix, não ter a maçã, seria bem decepcionante. Ela é um dos elementos que mais faz as pessoas lembrarem do mangá/anime. Podemos ver no trailer que teremos maçãs bem mais bonitas, vermelhas e suculentas que as tradicionais vendidas na feira! É pra nenhum Shinigami botar defeito...
A cena em que a maçã é apresentada é sensacional, trazendo também o caderno e uma risadinha no plano de fundo. O momento em que ela voa, faz o hype subir à níveis elevados!


4 - Shall we begin

Na última cena, Ryuk aparece novamente. Aqui, ele vai aparecendo aos poucos, enquanto a câmera vai enquadrando o ângulo de visão nele. Além de sua silhueta corcunda, característica de Ryuk, vemos o brilho dos seus grandes e poderosos olhos. É outro elemento muitíssimo importante na trama de Tsugumi Ohba, que leva a grandes enrascadas e reviravoltas. Apesar de não serem amarelados, é compreensível a alteração da cor dos olhos do shinigami para um tom mais laranja e forte, pois cria um belo tom obscuro, no melhor estilo Halloween, e combina com o jogo de luz e sombras apresentados.

Nesta cena, Ryuk diz "Shall we begin" numa clara declaração de que o jogo de gato e rato entre L e Kira está prestes a começar!

Além destas cenas terem chamado a atenção, o clima sombrio apresentado neste teaser é um ponto que temos de levar em consideração, pois o anime/mangá não é bonitinho, nem kawaii, no melhor estilo da fofura japonesa. A trama é sombria e pesada, trazendo um conteúdo reflexivo sobre alguns questionamentos da sociedade. O clima dark, pelo menos até agora, estará no filme. Nos resta saber se a trama pesada e os questionamentos levantados também farão parte do pacote final.

Death Note será lançado em 25 de agosto. O que você achou deste teaser?


Créditos

Texto e Revisão: Bruno Bolner


O artigo apresenta as opiniões e ideias do autor do texto e não do site Co-op Geeks.

Expectativa: Doomfist. Realidade: Orisa. Muitos estão insatisfeitos com a nova heroína de Overwatch e estão até culpando a Blizzard, mas será que a culpa do hype desnecessário e exagerado é culpa da desenvolvedora? Assista o vídeo dos meninos do canal Vamos de Dois sobre o assunto:


Gostou do vídeo? Deixe o seu "gostei" e se inscreva no canal dos meninos para não perder nenhum vídeo!

Em 2013, estreou nos cinemas o filme Homem de Aço (Man of Steel) dirigido por Zack Snyder e se tornou o pontapé inicial para a construção do Universo Cinematográfico da DC Comics, porém, depois do fail que Batman vs. Superman levou e de muitas críticas dos fãs para o decepcionante Esquadrão Suicida, o DCEU parece estar implodindo de dentro para fora: trocas de diretores constantes, atrasos nas produções, rumores de problemas nos sets e a expectativa rigorosa e massiva que os fãs impõem no estúdio Warner Bros. depois das tentativas frustradas (leia-se o filme de Lanterna Verde) de levar às telas as icônicas histórias das HQs. 

Enquanto Mulher-Maravilha (Wonder Woman, dirigido por Patty Jenkins e com previsão de estreia para junho desse ano) não chega, aqui estão algumas ideias de filmes que a DC poderia fazer para expandir o seu Universo compartilhado:

7 - Os Jovens Titãs


SIM, e sim. Em 2003 estreou no Cartoon Network uma série de animação que se tornou muito popular e durou cinco temporadas, um filme animado e ainda permanece fresca na memória dos fãs baseada em uma das formações mais recentes dos Teen Titans.

A equipe é baseada na nova geração de Titãs escrita por Marv Wolfman e George Pérez e inclui em sua maioria os sidekicks dos super-heróis maiores incluindo o Robin (Dick Grayson), Estelar, Ravena, o Ricardito (Roy Harper, o parceiro do Arqueiro Verde), o Aqualad e o Mutano.

Um filme com super-heróis adolescente não apenas poderia seguir a tendência de Spider-Man: Homecoming, como poderia incluir novos temas, inserir novos personagens e fazer o que a Marvel Studios não fez ao deixar de lado a adaptação de The Runaways e Young Avengers. Existem pelo menos dois grandes arcos que poderiam ser adaptados em filmes "O Contrato de Judas" e o "Terror de Trigon" que já foram adaptados para animações, mas bem que poderiam fazer parte do DCEU.




6 - Patrulha do Destino

Essa equipe de super-heróis que teve a sua primeira aparição nos anos 60 poderia render um ótimo filme. Formados por cinco super-heróis que, como o Quarteto Fantástico, se mantém isolados das outras pessoas, mas usando seus poderes para o bem: a Mulher-Elástica, o Homem-Negativo, que foi atingido por radiação cósmica e se transformou numa silhueta viva, o Homem Robô e o Chefe, um homem com paraplegia, mas com grandes poderes mentais e não é o Patrick Stewart... tem um apelo saudosista e poderiam ser a introdução para o personagem do Mutano (Beast Boy) que posteriormente se junta aos Titãs, além do que, o filme poderia ser uma adaptação da última missão da Patrulha.

Quando a popularidade da revista caiu e a equipe seria cortada, o roteirista Arnold Drake decidiu dar um fim na equipe com a sua a última missão, fazendo-os se sacrificar para salvar um vilarejo de civis como verdadeiros heróis fariam...




5 - Sentinelas da Magia

O grupo formado por Doutor Oculto, o Desafiador (Deadman), o Vingador Fantasma, Madame Xanadu, o Senhor Destino (Doctor Fate), Zatanna e o Retalho, tem como objetivo proteger o mundo das ameaças sobrenaturais, o que poderia ser a introdução do mundo místico da DC nos cinemas.



A história mais recente dos Sentinelas da magia acontece nos Novos 52 quando o Espectro acaba se tornando instável e precisa ser derrotado. 
A vibe sobrenatural e paranormal dos personagens poderia servir para adicionar alguns elementos de terror nos filmes, algo que ainda não foi tão explorado no gênero de super-heróis, sem falar que o Vingador Fantasma e o Doutor Oculto fizeram uma participação em Livros da Magia uma mini-série escrita por Neil fucking Gaiman que consiste numa apresentação de todo o universo mágico da DC.


4 - Gavião Negro e Mulher Gavião


Existem pelo menos duas versões da origem da Mulher-Gavião e o seu companheiro o Gavião Negro: a primeira envolvia a reencarnação de duas almas gêmeas desde os tempos do Egito Antigo, a princesa Chay-Ara e o príncipe Khufu. A segunda versão, porém, tornou os dois patrulheiros do planeta Thanagar que vieram para Terra e aqui permaneceram, Shayera Hol e Katar Hol, e qualquer uma dessas versões poderia ser adaptada em um filme. 

Se optarem por fazer o filme no Egito, pode muito bem se ligar com o filme do Shazam, estrelado pelo Dwayne Johnson, ainda sem data de estréia prevista, e se optarem por fazer um filme no espaço dá pra aproveitar todas as entidades e malfeitores espaciais da DC.

3 - Liga da Justiça Sombria


O grupo formado por John Constantine, Zatanna, o Desafiador, Madame Xanadu, a Orquídea Negra, o dêmonio Etrigan e o Monstro do Pântano são igualmente ligados ao sobrenatural como os Sentinelas da Magia, porém como o nome indica, em outra instância. 
A primeira vez que eles se reuniram foi para deter a feiticeira Magia (que convenientemente já foi apresentada em Esquadrão Suicida) que está descontrolada numa história escrita por Peter Milligan

Em agosto do ano passado Guillermo Del Toro anunciou que tinha interesse em dirigir o live-action e até que os roteiristas Scott Rudin e Michael Giglio estavam trabalhando no projeto.
Será que nós teremos o retorno da Magia nos filmes?


2 - Liga da Injustiça


Não necessariamente um filme focado nos vilões da DC, mas a Liga da Injustiça é a grande coalizão dos maiores inimigos da Liga da Justiça, liderados por Lex Luthor, o Coringa, o Gorila Grodd e Chettah, uma união dos piores vilões pode ser uma grande ameaça para o mundo e a batalha resultante entre bem e mal, nesse caso, pode ser épica.

1 - E por último... A tropa dos lanternas!


A Tropa dos Lanternas. Como diria Barack Obama: "yes, we can". Quem só assistiu o péssimo filme de 2012, estrelado por Ryan Reynolds (eu te perdoo migo, você é um ótimo Deadpool) não captou a importância da Tropa dos Lanternas no Universo. Além disso, não existe apenas a Tropa dos Lanternas Verdes, mas sim sete Corporações de Lanternas, cada uma com sua cor, compondo o Espectro Emocional e mantendo as galáxias em equilíbrio.

E o que acontece quando essas diferentes facções de Lanternas entram em conflito, ou melhor, se unem contra uma ameaça maior? Explorar uma das equipes mais poderosas do Universo DC nos cinemas pode levar a um filme que seria muito visualmente ambicioso e uma grande aventura interplanetária.

Enquanto nenhum desses filmes é anunciado, esperamos a estreia de Liga da Justiça para 16 de novembro. E lembrem-se sempre: para o alto e avante! 


O novo filme de M. Night Shyamalan (O Sexto Sentido, Sinais e A Vila) parece ter sido um plot twist na vida real, depois de uma série de filmes mal recebidos pela crítica e pelo público em geral, o diretor parece que está voltando às suas raízes num thriller bem construído cuja tensão aumenta num ritmo minuciosamente tecido.


ATENÇÃO: Esta análise NÃO CONTÉM SPOILERS de 'Fragmentado'. Prossiga despreocupado e boa leitura!

Uma trama original 

O filme começa com três jovens adolescentes dentro de um carro, um homem desconhecido entra nele, ele esfrega o vidro, gira a chave e dopa as três. No momento em que acordam estão dentro de um quarto escuro e desconhecido, completamente fechadas, foram sequestradas.

Este homem é Kevin (James McAvoy) que sofre de um distúrbio mental, desordem dissociativa de identidade, e possui vinte e três diferentes personas dentro de si e agora Casey, interpretada por Anya Taylor Joy (A Bruxa) e suas duas amigas precisam tentar fugir de algum modo dali com a ajuda de alguma das outras personalidades conflitantes de Kevin, antes que seja tarde demais.

O plot que parece ao mesmo tempo ser muito simples e muito intricado foi executado de modo muito bem feito, Shyamalan começa o filme com uma câmera fechada e uma sensação de claustrofobia, e vai lentamente revelando as locações, de dentro para fora. 
Além disso, o próprio lugar para onde as três garotas são levadas é cheio de quartos e corredores como um labirinto, refletindo à própria mente de Kevin. 





Todos estão dentro dele

James McAvoy faz um trabalho de atuação inexplicável, a acentuação facial e os maneirismos que cada personalidade possui faz com que o espectador saiba quem está ali naquele presente momento de imediato.

Ao longo do filme quatro das personalidades ganham mais destaque: Dennis, um homem metódico, centrado e obcecado por limpeza, Patricia, uma mulher afável, que parece tentar confortar as três meninas naquela situação, Barry, um estilista de moda criativo e desinibido e Hedwig, um menino de nove anos, e o trabalho de postura, do comportamento e de transformação corporal que decorrem até o final do filme com toda a certeza são bastante críveis. 

A atuação de Anya Taylor Joy também merece muito destaque, ao longo do filme a sua personagem vai sendo moldada e mais de seu passado misterioso vai sendo revelado.




Fora da luz

O trabalho de câmera em cada take além de ser bem cuidadoso e ter uma referência que lembra Hitchcock apela também bastante para o contraste entre a luz e a sombra, com a iluminação certa uma parte de uma casa pode se tornar simplesmente aterrorizante.

Além disso o contraste de luz e sombra que é apresentado não apenas cria tensão no filme, como mostra a complexidade da situação de Kevin: quando ele está contracenando com a psicóloga Drª. Fletcher (Betty Buckley, que já trabalhou com Shyamalan em The Happening) está dentro de um recinto bem iluminado, sendo educado e gentil. 

No filme estar "dentro da luz" é quando uma das personalidades está na posse naquele momento. E no começo, as personalidades boas de Kevin são apresentadas em ambientes claros. Quando outras personalidades assumem, porém, tudo é mais escuro e sombrio, e quando todas as luzes vão sendo apagadas, algo muito pior está por vir...




O Plot Twist - e um final que pode confundir

A assinatura de M. Night Shyamalan é um filme que termina com um twist no final, um final que muitas vezes é impactante e surpreendente, porém, com o tempo a maioria dos seus filmes acabou entrando em desalinho com o público e a crítica justamente por não necessariamente corresponder às expectativas, mas nesse caso o diretor não apenas entrega o que promete como faz algumas subversões na sua conclusão.

O final do filme, para alguns pode ser considerado anti-climático ou mesmo estranho (principalmente se você não estiver familiarizado com os trabalhos anteriores do diretor), porém ao longo do filme indicações pequenas e sutis são dadas para que no final tudo se encaixe, desde pequenas falas que indicam as razões para o sequestro e o desenrolar da trama até cenas que inicialmente parecem desconexas, como uma visita de Kevin/Dennis ao trem. Ainda assim, muitas explicações ficam penduradas no ar e isso pode muito bem ser visto como um demérito pro filme.

Até ali até mesmo o elemento mais fantasioso do retrato de uma doença mental, que foi muito criticado por diversas pessoas, acaba se justificando por causa de uma torção na história que encaixa muito bem a construção da personagem da Casey com a de Kevin e suas outras vinte e quatro personalidades.




Enfim, apenas o tempo dirá se os próximos filmes serão melhores e se Shyamalan poderá ser realmente perdoado em nossos corações por The Last Airbender, além de tudo... e etcetera.

'Fragmentado' tem sua estréia prevista para 23 de março.

Créditos:
Texto: Felipe Lima



Este review apresenta opiniões e ideias do autor e não do site Coop-Geeks

Todos nós sabemos que o meio LGBT+ deve e precisa ser muito bem representado na mídia, quanto mais questões de gênero e sexualidade são discutidas na nossa sociedade temos uma desconstrução maior de preconceitos, principalmente pelo entretenimento, por conta disso, eu resolvi trazer esse TOP 5 Filmes com temática LGBT que você precisa assistir.

Relaxe e pega a pipoca!

5- Imagine eu e você (Imagine me & You, 2005)



Tenho certeza que ao falar de filme lésbico logo vem a sua cabeça o "Azul é a cor mais quente" mas quero apresentar um filme muito bonito para você...

Esse é um queridinho e clássico no meio lésbico, um filme tão tranquilo e bonito que você fica com um sorriso no rosto assistindo, ele possui um humor muito legal em algumas cenas e trata do amor entre duas mulheres como algo natural, como ele realmente é.

Ele conta a história de Rachel e Heck, que estão juntos a alguns anos e resolvem se casar, porém no dia do casamento, Rachel conhece Lucy, uma florista, e ali começa uma amizade bem profunda entre elas até que os sentimentos se mostram muito intensos, uma paixão nasce dentro das duas.

O filme teve lançamento em 2005, dirigido por Ol Parker e tem uma temática super leve e romântica e é do tipo para assistir em um momento de tédio ou até mesmo de tristeza, pois não tem como vê-lo sem soltar um sorriso de vez em quando. 

4- Eu matei minha mãe (J'ai Tue Me Mére, 
2009)




Apesar do título, esse filme não tem nada á ver com um filho que mata sua mãe, e sim sobre a relação maternal muito conturbada do adolescente de 17 anos chamado Hubert com sua mãe Chantale.

Lançado em 2009, o filme francês busca mostrar o quão difícil pode ser relações familiares, principalmente com sua mãe. A representação da homossexualidade acontece quando Hubert começa a namorar um garoto, e a parte dramática que se espera que aconteça em relação a isso não ocorre, o principal objetivo do filme é mostrar que situações bobas em um jantar entre uma mãe e  um filho pode ocasionar gritarias e escândalos. 

O filme muitas vezes usa algumas metáforas muito bonitas sobre isso, tem cenas onde o garoto grava vídeos dizendo que poderia pensar em mais de mil pessoas que ele ama mais do que ama sua mãe, e ao ponto onde tomos veem, é uma obrigação amar sua mãe. Vamos combinar que na verdade, com tudo isso ele só prova que ama sim sua mãe.

De um enredo completamente único e interessante, Eu matei minha mãe, dirigido por Xavier Dolan nos faz pensar sobre muitas coisas, mexe com nosso lado emocional em várias cenas, vale a pena assistir. Se você gosta de filmes onde acontecem muitas coisas não espere muito dele, pois ele só começa a desenrolar mais a história a partir do meio do filme, até então só vemos brigas entre Hubert e Chantele e um pouco do relacionamento do garoto com seu namorado Antonin. 

De qualquer maneira, é um filme muito bonito que você deveria assistir!

3- Tomboy (2011)



Vai ter filme sobre identidade de gênero sim! Tomboy é um filme que fala sobre o descobrimento da criança quanto ao que são e ao que sentem. O filme foi lançado em 2011.

De inicio se não lermos nada sobre o filme, podemos pensar facilmente que a criança é um garoto, pelas suas vestimentas e seu corte de cabelo, mas o filme mostra de maneira muito natural e direta em uma cena no banho que a criança é uma menina chamada Laure.

Quando a família de Laure se muda para uma nova casa e a menina resolve fazer amigos, e é ai que a história realmente começa. A garota é confundida com um garoto pelas crianças que ela estava conhecendo, então ela resolve dizer que seu nome é Mikaël.

É um filme que retrata todo esse descobrimento de maneira muito simples e bonita. É a inocência de cada cena que mais me conquistou, retrata a questão de identidade de gênero muito bem e o melhor é poder ver isso na visão de uma criança que trata tudo com muita naturalidade, não se preocupa em se rotular como algo. O desenrolar do filme é bem construído, as cenas dramáticas são bem reais conversando sobre os temas de preconceito e até mesmo sobre o machismo enraizado nas próprias crianças.

Você tem muito o que aprender e o que pensar com Tomboy, garanto que não vai se arrepender!

2 - As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower)



Não, o filme não é apenas mais um filme adolescente, é um filme que fala sobre amizade, sobre se encaixar com outras pessoas, fala de relacionamentos, de conturbações e problemas na adolescência e além de também representar o bullying.

A trama se baseia no personagem principal, um garoto de 15 anos chamado Charles (Logan Lerman), que tem que lidar com todo o drama que é estar no ensino médio sem amigos. Ele que havia acabado de se superar de uma depressão que quase o levou ao suicídio, também perdeu seu único e melhor amigo, porém, tudo começa a melhorar quando ele conhece Sam (Emma Watson) e  Patrick (Ezra Miller) que acolhem ele de uma maneira muito bonita.

 A temática LGBT fica por conta do personagem secundário Patrick que mantém um relacionamento escondido com Brad, que não é assumido por conta de sua família. Esse filme estaria em segundo lugar pois ele retrata muito bem a homofobia no colégio.

As Vantagens de Ser Invisível é um filme super sensível e possui uma trilha sonora muito boa, ele é muito representativo para os adolescentes quando mostra todos os problemas nas amizades, nos relacionamentos, ele também passa uma ideia de qual é o seu lugar no mundo, de como tudo é tão intenso na adolescência...

Então você precisa sim assistir esse filme, que para mim foi um dos mais bonitos que já vi.

1- Hoje eu quero voltar sozinho (2014)



Sim, em primeiro lugar coloquei um filme brasileiro. Esse filme é tão lindo que eu poderia assisti-lo um milhão de vezes o tempo inteiro.

Leonardo (Guilherme Lobo) é um adolescente deficiente visual que lida com seus pais super protetores. O que eu mais gosto nesse filme é o fato de ele ser super leve, as cenas são sensíveis, a estética simples e bonita te faz ficar encantado. Também temos uma personagem muito importante na trama, Giovana (Tess Amorin), a única amiga de Leonardo. A ingenuidade inserida em cada cena é o melhor do filme, ele não é apelativo, as coisas acontecem de maneira tão natural que quando você vê o filme já esta quase acabando.

Inclusive, se você não gosta de enrolações em filmes, Hoje eu quero voltar sozinho ganha um ponto com você.

 O desenvolvimento do filme começa quando um aluno novo chamado Gabriel (Fábio Audi) chega e começa a atrair a atenção de Leonardo, a partir dai vemos um sentimento doce e super bonito nascer entre os dois. Esse filme é muito simples, mostra o desejo de Leonardo por mais liberdade, como, por exemplo, na cena em que ele procura se inscrever em um programa de intercâmbio escondido.

 Algo que me chamou muita atenção foi o fato de Leonardo não ficar chocado ao descobrir sua sexualidade, ele não se sentiu mal por isso e mesmo com os comentários maldosos de um grupinho da escola, o filme trata a questão da sexualidade com muita naturalidade e te passa uma ternura muito grande, seja nas cenas que ocorrem entre Leonardo e Gabriel, sua relação com Giovana e até mesmo com os pais.

 Quer assistir um filme extremamente bonito e sensível? Assista Hoje eu quero voltar sozinho!

P.S.: Os filmes "As vantagens de ser invisível", "Hoje eu quero voltar sozinho" e "Eu matei minha mãe", podem ser assistidos na Netflix.



Créditos: 
Texto: Aline Oliveira
Revisão: Felipe Lima



O texto apresenta opiniões e ideias do autor do texto e não do site Coop-Geeks



Hoje é o dia delas! Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, os meninos do canal Vamos de Dois, fizeram uma lista com as cinco mulheres que deixaram a sua marca no mundo dos games - seja quebrando tabus, sendo representativas ou ocupando um espaço "fora do padrão". Assista:


Gostou do vídeo? Não esqueça de deixar o seu "gostei" no vídeo e se inscrever no canal dos meninos!

Reviews

Previews

Artigos

Vídeos