Menu

O segundo trailer de Viúva Negra saiu e tivemos muito mais novidades sobre o próximo filme da Marvel que deve apresentar mais do passado sombrio de Natasha Romanov (Scarlett Johansson).


O trailer começa logo com Natasha encontrando sua "irmãzinha", Yelena Belova (Florence Pugh, Midsommar) e revelando que está foragida. As duas se encontram nesse prédio semi-abandonado e agentes da SWAT estão perto de invadir o prédio numa sequência que deve se assemelhar bastante às cenas de Guerra Civil e Soldado Invernal e lembrando que esse filme se passa cronologicamente antes de Vingadores: Guerra Infinita.



As duas devem se unir logo no início do filme e pelo visto estão sendo perseguidas pelas outras Viúvas Negras, já que é revelado que existem novas agentes agora e terão de achar abrigo com Melina Voskotoff (Rachel Weiss).


Tivemos a aparição mais forte do Guardião Vermelho e praticamente uma confirmação de que teremos uma fuga da prisão na qual ele deve estar sendo mantido em cativeiro, já que temos uma cena rápida do personagem de David Harbour roubando uma jaqueta que parece ser de um dos guardas.


Além disso temos mais um vislumbre da Sala Vermelha - o lugar de treinamento das agentes Viúvas Negras onde elas eram treinadas física e psicologicamente para se tornarem espiãs e máquinas mortíferas perfeitas.


E finalmente temos um destaque para quem deve ser o grande oponente final do filme o Taskmaster - ou o Treinador - interpretado pelo ator O T-Fajbenle e que luta contra Natasha no que aparentemente é uma ponte ou algum tipo de túnel e ele possui um escudo!



Nas HQs o Treinador possui a habilidade de assimilar os movimentos de luta do adversário então fica a dúvida, será que esse tempo todo ele esteve assimilando o jeito de lutar do Capitão América?


Viúva Negra chega aos cinemas ainda em dia 1 de maio



Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima


O trailer de Morbius, o filme solo do vilão do Homem-Aranha e o novo passo da Sony em tentar montar o seu próprio universo de filmes com personagens derivados do Cabeça de Teia, estrelado por Jared Leto, como o protagonista Michael Morbius, além da atriz Adria Arjona, como Martina Bancroft e o ator Matt Smith (Doctor Who), como o vilão Loxias Crown.


O início de um vampiro


Começamos o trailer com o jovem Michael Morbius sofrendo bullying de várias crianças. No filme, assim como nas HQs, ele sofre de uma doença de sangue raríssima que o torna bastante fraco e doente e no filme ele será criado por um mentor que o adota aqui interpretado pelo ator Jared Harris. 


No filme o personagem aparentemente também será além de um bioquímico, também será um doutor especialista em doenças raras já que no trailer o vemos se apresentando em público e cuidando de pacientes.


E assim como nas HQs, Morbius tenta curar a sua doença através de uma experiência científica, mas ao contrário dos quadrinhos na qual existe uma participação do personagem do Lagarto, o Dr. Curtis Connors, e aqui ele viaja para algum país aparentemente tropical para atrair morcegos vampíricos na tentativa de obter a cura que é claro, dá errado.

Os poderes de Morbius


No trailer temos uma pequena amostra dos poderes de Morbius depois de sua transformação: ele pode controlar os morcegos ao seu redor, ganha super velocidade, super-força, mais resistência corporal (além de um tanquinho porque afinal ele é um anti-herói) e como um bom vampiro, uma sede terrível de sangue.


Além disso temos cenas de perseguição em um navio, que provavelmente será um dos lugares na qual Morbius enfrentará os seus captores, já que ele será perseguido por Simon Stroud, um agente do FBI interpretado pelo ator Tyrese Gibson que começa a perseguir Morbius depois de sua transformação, provavelmente uma vez que agora ele é uma grande ameaça para todos ao seu redor e uma rápida aparição de Loxias Crown, que deve ser o grande vilão do filme e que possui a mesma rara doença sanguínea de Morbius e um melhor amigo de infância dele.

E temos referências...


Também temos algumas referências à outros filmes do Homem-Aranha. Primeiro em determinado momento Morbius está andando na rua, provavelmente em fuga e passa por uma rua na qual existe um cartaz ou uma pintura de rua numa parede retratando Homem-Aranha, mas riscado com a pichação "murderer", ou seja assassino - o que pode indicar que nesse momento Peter Parker pode estar sendo acusado de causar a morte de Mysterio. É preciso lembrar de que a Sony não usou a imagem do uniforme do Homem-Aranha dos filmes feitos em conjunto com a Marvel, mas sim dos vídeo games, uma vez que assim os filmes solo dos vilões não precisam ser diretamente ligados aos filmes do MCU



Contudo, no mesmo trailer temos uma aparição de Michael Keaton, provavelmente interpretando o personagem Adrian Toomes, o vilão Abutre, mas não sabemos se realmente sendo esse personagem ou outro completamente diferente.

E por fim temos a aparência da transformação final de Morbius, com sua forma vampírica completa. Por enquanto não sabemos ainda se o filme pode ser um sucesso ou um fracasso total, embora muitas pessoas tenham um pé atrás com os filmes solos de vilões da Sony, esse filme parece ainda ter algum potencial. 



Morbius tem a data de estreia marcada para 31 de julho deste ano.



Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima


A 92ª edição do Oscar trouxe alguns nomes esperados para a lista de indicados do Oscar 2020. O evento que será exibido no dia 09 de fevereiro e novamente sofre críticas pela falta de representatividade apresentou a lista nesta segunda (13), sendo que alguns filmes quebraram recordes, como Coringa que recebeu onze indicações e o longa Parasita, que foi lembrado nas categorias de Melhor Filme, Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Diretor. Além disso o documentário brasileiro Democracia em Vertigem produzido pela Netflix está entre os indicados de melhor documentário.

Confira a lista de indicados aqui:

Indicados a Melhor Figurino:

O Irlandês
Jojo Rabbit
Coringa
Adoráveis Mulheres
Era Uma Vez Em... Hollywood

Indicados em Mixagem de Som:

Coringa
Ad Astra
Ford v Ferrari
1917
Era Uma Vez Em... Hollywood

Indicados em Edição de Som

1917
Coringa
Ford v Ferrari
Era Uma Vez Em... Hollywood
Star Wars: A Ascensão dos Skywalker

Indicados em Melhor Trilha Sonora

Adoráveis Mulheres
Coringa
História de Um Casamento
1917
Star Wars: A Ascensão dos Skywalker

Indicados a Melhor Documentário 

Democracia em Vertigem
For Sama
American Factory
The Cave
Honeyland

Indicados a Melhor Curta-Metragem

Brotherhood
Nefta Footbal Club
Saria 
Sister
The Neighbors Window

Indicados a Melhor Roteiro Adaptado

Dois Papas
Adoráveis Mulheres
Jojo Rabbit
Coringa
O Irlandês

Indicados a Melhor Filme Estrangeiro

Corpus Christi
Honeyland
Dor e Glória
Parasita
Os Miseráveis

Indicados a Melhores Efeitos Visuais

Vingadores: Ultimato
Star Wars: A Ascensão dos Skywalker
Rei Leão
O Irlandês
1917

Indicados a Melhor Roteiro Original

Entre Facas e Segredos
História de Um Casamento
1917
Parasita
Era Uma Vez Em... Hollywood

Indicados a Melhor Canção Original

"I Can't Let You Throw Yourself Away" - Toy Story 4
"I'm Gonna Love Again" - Rocketman
"I'm Standing With You" - Breakthrough
"Stand Up" - Harriet
"Into the Unknown" - Frozen 2

Indicados a Melhor Animação

Klaus
Toy Story 4
O Elo Perdido
Como Treinar o Seu Dragão 3
I Lost My Body

Indicados a Melhor Cabelo & Maquiagem

Malévola: Dona do Mal
Coringa
O Escândalo
Judy
1917

Indicados a Melhor Fotografia

Era Uma Vez Em... Hollywood
Coringa
O Farol
O Irlandês
1917

Indicados a Melhor Ator Coadjuvante

Tom Hanks - Um Lindo Dia na Vizinhança
Anthony Hopkins - Dois Papas
Al Pacino - O Irlandês
Joe Pesci - O Irlandês
Brad Pitt - Era Uma Vez Em... Hollywood

Indicados a Melhor Atriz Coadjuvante

Laura Dern - História de Um Casamento
Kathy Bates - Richard Jewell
Scarlet Johansson - Jojo Rabbit
Florence Pugh - Adoráveis Mulheres
Margot Robbie  - O Escândalo

Indicados a Melhor Ator

Antonio Bandeiras - Dor e Glória
Leonardo DiCaprio -  Era Uma Vez Em... Hollywood
Adam Driver - História de Um Casamento
Joaquin Phoenix - Coringa
Jonathan Pryce - Dois Papas

Indicados a Melhor Atriz

Cynthia Erivo - Harriet
Scarlet Johansson - História de Um Casamento
Saoirse Ronan -  Adoráveis Mulheres
Charlize Teron  - O Escândalo
Renée Zellweger - Judy 

Indicados a Melhor Direção

Martin Scorsese - O Irlandês
Todd Phillips - Coringa
Sam Mendes - 1917
Bong Joon Hoo - Parasita
Quentin Tarantino - Era Uma Vez Em... Hollywood

Indicados a Melhor Filme

Ford vs Ferrari
O Irlandês
Coringa
1917
Parasita
Era Uma Vez Em... Hollywood
História de Um Casamento
Jojo Rabbit
Adoráveis Mulheres




E então? O que vocês acharam das indicações desse ano? Quais serão os indicados que  merecem mais o prêmio e quem foi esnobado? Deixem seus comentários para a gente!


Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

Finalmente, depois de quase dois anos de espera, tivemos um trailer novo de Os Novos Mutantes, um dos lançamentos da série de filmes dos mutantes produzida pelos estúdios FOXdirigido por Josh Boone (A Culpa é das Estrelas), e muito provavelmente o último em muito tempo, considerando a compra do estúdio pela Disney.

Um lado sombrio dos mutantes


Quando o primeiro trailer d'Os Novos Mutantes foi liberado já há algum tempo, ele surpreendeu as pessoas de diversas maneiras pela sua abordagem sombria e bem próxima de um filme de terror adolescente. E esse novo trailer mantém esse tom, mas exibindo um pouco mais de ação.

No trailer, somos apresentados à futura equipe d'Os Novos Mutantes: primeiro temos Danielle Moonstar, a Miragem, que tem o poder de telepaticamente criar ilusões dos medos e desejos dos seus inimigos; a Lupina, Rahne Claire, interpretada por Maisie Williams, é escocesa, extremamente religiosa e tem o poder de se transformar em uma loba; além da Illyana Rasputin, a Magik, interpretada por Anya-Taylor Joy (A Bruxa, Fragmentado), que possui poderes relacionados a demônios, necromancia e teleporte, além de ser a irmã do mutante Colossus, e ter matado 18 homens, um por um, sem hesitar.

Além disso, temos Charles Heaton como Sam Guthrie, o mutante Míssil, que tem o poder de se projetar e se atirar no ar com o poder de uma bola de canhão, Henry Zaga como Roberto da Costa, o Mancha Solar, que tem poderes de pirocinese, e a atriz Alice Braga como a doutora Cecilia Reyes, que parece estar controlando todo o hospital em que os adolescentes estão se mantendo confinados.

Temos algumas cenas deles falando um pouco sobre as primeiras vezes em que o seus poderes se manifestaram e esse filme parece que vai explorar a parte assustadora de se ser um mutante. As estranhas torções corporais e consequências desastrosas dos poderes e mutações.

Além disso há uma pequena sequência de ação no início do trailer, que sugere que Dani, a Miragem, está sendo perseguida por alguém. E há a revelação de que o hospital na qual o grupo está confinado também é mantido fechado por um campo de força em torno dele. Nas HQs, esse é o poder da doutora Reyes, e fica a especulação se ela não seria uma mutante também. Também podemos ver, em uma breve cena, Magik conjurando uma espada a partir do seu braço e se teleportando para combater o vilão do filme.

O vilão e os adiamentos


Sabemos que o vilão deste filme é o Urso Demoníaco, uma entidade que assombra os sonhos de Miragem, que possui uma conexão com ele, devido a sua descendência nativo-americana. Ele poderia ser um início interessante para uma nova franquia e, além disso, o diretor Josh Boone já declarou que tem planos de ter pelo menos duas sequências. Contudo, há uma nova incógnita, já que agora os mutantes fazem parte da Disney, a verdadeira vilã nessa bagunça que se tornou o lançamento de Os Novos Mutantes. E a possibilidade do filme ter uma sequência e entrar para o Universo Cinematográfico Marvel atualmente é bem difícil, mesmo com a Marvel pertencendo ao mesmo grupo.

Esse filme já foi adiado pelo menos duas vezes. Primeiramente em resposta ao primeiro trailer que, segundo o diretor Boone, não representou tão bem o tom do filme. Houveram reportagens afirmando que haveriam algumas refilmagens para tornar o filme mais assustador. Depois, com a compra dos estúdios Fox pela Disney, o filme foi novamente adiado, sendo que até mesmo os próprios atores em algumas entrevistas não sabiam mais quando seria a estreia.



Teremos de aguardar para saber se Os Novos Mutantes realmente vale a pena. O filme estreia nos cinemas em 03 de abril.

Créditos

Texto: Felipe Cavalcante
Revisão: Bruno Bolner

O texto apresenta as opiniões do autor do artigo e não do site Co-op Geeks.

A escritora britânica J. K. Rowling, a autora da série de livros Harry Potter, é a dona de uma das franquias mais lucrativas e reconhecidas das últimas décadas, com sete livros, duas séries de filmes, parques temáticos, apresentações teatrais na Broadway e video games e inegavelmente cativante para diversas pessoas que se apaixonaram pelo Mundo Bruxo. 

Em 2014 quando perguntada por um fã sobre a presença de alunos LGBT+ em Hogwarts a autora J. K. Rowling respondeu com uma imagem que dizia: "Se tem uma coisa que Harry Potter nos ensinou é que ninguém deveria viver em um armário."

Mas em 19 de dezembro deste ano J. K. Rowling se pronunciou com um tweet: "Se vista como te agradar. Se chame do que você quiser. Durma com qualquer adulto que consinta e que te queira. Viva sua vida melhor com paz e segurança. Mas forçar mulheres a saírem dos seus empregos por afirmar que sexo é real? #IStandWithMaya - Eu apoio Maya - #ThisIsNotADrill - Isso não é um treinamento.

A hashtag se refere à Maya Forstater, que trabalhava no Centro de Desenvolvimento Global (CDG), uma organização que visa na luta da não equidade e pobreza e da qual foi demitida quando alguns de seus tweets e posts foram descobertos em que ela se opunha e condenava o Ato de Reconhecimento de Gênero no Reino Unido, que permite que pessoas possam ser legalmente reconhecidas pelo gênero com o qual se identificam, e nesses tweets afirmando que se recusaria terminantemente a se referir à mulheres trans pelos pronomes corretos. Os empregadores de Forstater não renovaram o seu contrato afirmando o seu linguajar "ofensivo e excludente", ela convocou uma audiência contra, mas no final, o resultado foi de que não houve erro na não renovação do contrato.

Nas palavras do juiz James Taylor que analisou o caso: "Concluo a partir [...] e da totalidade das evidências, que [Fostater] é absolutista em sua visão sobre sexo e que esse  é o componente central de sua crença e que ela irá se referir à uma pessoa pelo gênero que ela considerar apropriado mesmo se isso violar a sua dignidade e/ou criar um ambiente intimidador, hostil, degradante, humilhante ou ofensivo."

As palavras de Rowling refletem à um pensamento ainda entranhado mesmo em alguns grupos de feministas de que pessoas transgênero não seriam realmente quem são, o gênero que elas afirmariam ter não é real e o máximo de respeito que se pode dar é o de deixá-las "vestirem-se como quiserem". Como um homem cis, minhas palavras neste artigo irão se basear nas respostas dos vídeos de dois youtubers trans (os vídeos são, infelizmente, em língua inglesa) que discutiram a fala de Rowling em seus vídeos cujos links estarão aqui e aqui.

Essa não foi a primeira vez em que Rowling se envolveu em polêmicas envolvendo a comunidade LGBTQ+, desde a representação da sexualidade do personagem Alvo Dumbledore, o diretor da Escola de Bruxaria de Hogwarts, que segundo ela seria gay, mas que nos livros apenas teve essa interpretação deixada no subtexto, assim como na série de filmes spin-off, Animais Fantásticos. Enquanto a representação de personagens gays, lésbicas e bissexuais era questionada, muitas pessoas também notaram um alarmante número de vezes em que a escritora parecia se manifestar com curtidas de artigos considerados transfóbicos. 

Quando falamos de transfobia, como na questão da homofobia e da bifobia, não queremos nos referir à medo, mas sim um termo que denota "uma série de comportamentos que revelam aversão, desprezo, manifestações de ódio, apagamento e negação." A discussão primária que envolveria o apoio de Rowling para com Forstater seria o de que ela não estaria apenas executando o seu direito de discurso, mas sim de causar um ambiente tóxico e degradante de trabalho para com seus colegas e que fossem pessoas trans, o que é obviamente inaceitável, mas as palavras usadas por Rowling revelam muito mais dentro de uma linha de pensamento cruel e ignorante sobre as experiências vividas por pessoas trans.

Uma da maiores dificuldades de pessoas trans é de não ser ouvida e de não serem reconhecidas como narradoras confiáveis de suas próprias experiências. Grupos feministas radicais costumam advogar contra leis e atos de reconhecimento de gênero, alegando a sua crença de que o sexo biológico é o único real, que deixar que mulheres trans ocuparem os mesmos espaços que mulheres cisgêneros seria colocá-las em posições de vulnerabilidade, já que elas as consideram "homens" e que afirmar o contrário é compactuar com uma suposta agenda para tirar o reconhecimento de "mulheres reais". Esse tipo de afirmação, contudo, em vez de tentar encontrar soluções parece muito mais focado em ataques contra pessoas trans e normalmente excluem pessoas trans de participar da vida pública e exercer seus direitos com capacidade total, desde coisas básicas como o uso do banheiro público assim como discriminação no ambiente de trabalho.

Enquanto que Forstater tem o direito de ter uma opinião, ainda que desagradável, ela não tem o direito de usá-la para atacar, discriminar ou criar um ambiente desagradável de trabalho. As pautas que são advogadas por ela são menos sobre proteger mulheres em locais pertencentes apenas à elas e mais sobre criar ambientes em que pessoas trans não possam participar ativamente. Quando pessoas trans podem mudar o seu nome e gênero em suas documentações legalmente, o uso dos pronomes que as deixa mais confortáveis se torna inegável em locais como o ambiente de trabalho e até existe a oportunidade da sua transgeneridade não se tornar uma questão na hora da contratação quando os documentos confirmam o gênero de uma pessoa já transicionada (ou seja que já passou pelas operações de transição de gênero).

Quando uma pessoa usa o pronome errado para uma pessoa trans, sabendo exatamente que aquela pessoa é trans, isso é uma tentativa de se exercer poder, de negar que a conversa seja agradável e aceitar os termos do outro. É ser desagradável e rude, além disso diversas empresas e organizações possuem em seus contratos cláusulas que deixam bem claro que se a parte empregada posta algo ofensivo ou que potencialmente desacreditar tal empresa isso ser cabível de demissão.

Infelizmente uma grande maioria das pessoas não apenas nunca conseguirá entender a experiência das pessoas trans, como nunca vai querer tentar entender. A mistura da apatia e da ignorância acaba sendo uma das frequentes razões da letra T de LGBT ser uma das mais atacadas dentro e fora do meio.

J. K. Rowling parece não entender que a experiência de uma pessoa trans não se resume no modo como ela se veste, nem o modo como ela se chama. Não parece interessante que crianças quando são adotadas mudam os seus sobrenomes, ou mesmo os seus primeiros nomes ou algumas pessoas podem mudar os seus nomes legalmente e isso não é questionado? A ironia de se apontar que não há problema nenhum na mensagem "durma com quem você quiser e que seja um adulto que consinta", quando justamente a questão de relações sexuais e consentimento nunca foi posta em questão dentro do Ato de Reconhecimento de Gênero.

J. K. Rowling anteriormente em seu twitter já curtiu artigos compartilhados nessa rede social que afirmavam veementemente sobre o suposto problema de mulheres trans que seriam "homens" usarem o banheiro feminino, ironicamente isso parece não se alinhar com o fato de que mulheres trans e travestis são reconhecidamente vítimas frequentes de violência, que a maioria dos casos de estupro que acontecem são por parte de familiares e conhecidos e que a maioria dos estupradores nesse caso, não se identificavam como transgêneros. 

A escritora J. K. Rowling foi acusada de transfobia, e até o momento não respondeu sobre tais acusações. Não existe nenhum razão para Rowling não contra-afirmar a acusação de transfobia a não ser que ela realmente possua uma opinião sobre isso que ela sabe que a maioria de seus fãs não irão gostar de ouvir. E infelizmente para isso não nos serve mais a resposta antiga, não nos serve mais lembrar que em 2014 quando perguntada por um fã sobre a presença de alunos LGBT+ em Hogwarts a autora respondeu com uma imagem que dizia: "Se tem uma coisa que Harry Potter nos ensinou é que ninguém deveria viver em um armário."

Parece ainda menos irônico que num mundo em que existem poções polissuco na qual você pode mudar de forma, feitiços com os quais que você pode mudar de aparência e metamorfagos a existência de pessoas trans esteja apenas num vago discurso.

E porque isso importa? Por que as opiniões transfóbicas de J. K. Rowling importam? O grande por quê é que ela continua sendo uma das maiores, mais influentes e mais bem pagas autoras dessas últimas duas décadas, os roteiros dos filmes dela continuarão fazendo dinheiro e os livros escritos por ela também, as pessoas escutarão o que ela diz e muitos de nós, pessoas cis, temos o privilégio de não ter martelando em nossas cabeças o fato de que uma de suas autoras favoritas, de livros que falam sobre compaixão, amizade e amor acredita que você está apenas se "vestindo como quer". 


Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

Steven Universe Future ganhou mais quatro episódios novos exibidos pela Cartoon Network: Bluebird, A Very Special Episode, Snow Day e Why So Blue? - onde tivemos mais sobre as novas aventuras de Steven e as Crystal Gems, algumas novas personagens, o retorno de algumas outras personagens que já conhecemos e muito mais.

ATENÇÃO! Este artigo contém SPOILERS de 'Steven Universo' e 'Steven Universe Future' leia com cuidado!

Bluebird



Bluebird é um episódio interessante e com uma premissa bem simples: Steven descobre que há uma nova Gem pregando peças nele, ou o que essa gem acredita serem pegadinhas incômodas, quando chega em sua casa descobre que essa Gem é a Azurite Bluebird, uma fusão da Rubi Eyeball e da Aquamarine. Steven até tenta dar uma chance para essa nova fusão, apesar de continuar sempre desconfiando dela, mas no final as suas desconfianças acabam se provando genuínas, pois é claro Aquamarine e Rubi voltaram para tentar se vingar.

O episódio é curto, porém bem executado e divertido, mas poderia ser mais longo. Na verdade ele acaba revelando um certo problema do formato escolhido para essa série: por mais que todos os episódios sejam bem-feitos e bem executados, todos eles talvez pudessem acrescentar bem mais se tivessem um pouco mais de tempo para desenvolver suas histórias.

A Very Special Episode


Esse episódio que tem como título Um Episódio Muito Especial ironicamente não tem quase nada de especial. A trama dele resumidamente é que Steven agora tem diversas responsabilidades e precisa cuidar de duas tarefas diferentes ao mesmo tempo: ser a babá do Cebola junto de Pérola como a fusão Quartzo Arco-Íris e ajudar Garnet numa aula para novas Gems sobre segurança como a fusão Sunstone. Enquanto se desdobra para tentar cumprir as duas tarefas ao mesmo tempo Steven nega que está se sobrecarregando com resultados desastrosos e hilários. 

O episódio tem uma ideia boa e carrega ele com bom humor, além de ter uma boa mensagem. Infelizmente a finalização dele dá uma impressão de não ter sido muito bem pensado, normalmente em Steven Universo não estamos isentos de termos finais com uma resolução de aprendizado dos personagens (às vezes um pouco piegas), aqui temos uma piada meta com a Sunstone que não orna tão bem com o resto do episódio.

Snow Day


Toda série precisa de um episódio em que os personagens ficam presos em casa por causa do tempo, aqui por causa da neve. Um dos melhores episódios de As Meninas Superpoderosas acontece num dia de chuva e esse possui uma boa premissa: Steven agora é um adolescente, tem responsabilidades e não tem mais tanto tempo ou a vontade de agir como uma criança e as Gems querem trazer esse espírito de volta num jogo de Steven Tag enquanto os quatro estão presos em casa.

O episódio tem pequenas surpresas como a metamorfose da Pérola, as fusões transformadas na forma de Steven e momentos divertidos, mas ele se perde ao tentar formar algo mais sentimental. No começo do episódio temos um Steven que agora não toma mais café da manhã junto, que não usa mais a sua clássica mochila hambúrguer e que não come mais pizza de pepperoni, afinal ele agora é vegetariano (essa me doeu um pouco, não porque seja errado ser vegeteriano, mas pela frase do cachorro quente do Greg que talvez perca um pouco do peso já que Steven não come mais carne), mas pelo final temos que aceitar que ele mudou e agora não quer agir ou ser visto como criança, apesar de que Steven ainda precisa lembrar de como é ser ele mesmo às vezes. Não são duas lições que se contrastam, mas o modo como foram misturadas pareceu um pouco morno.

Why so Blue?


Lápis Lazúli é uma das minhas personagens favoritas, infelizmente, esse episódio que justamente foca nela é um dos mais fracos e realmente mostra o problema do tempo de duração do episódio. A ideia é interessante: Steven e Lápis viajam para um planeta que está sendo terraformado por outras duas Lápis, eles tentam convencê-las de que não precisam mais fazer isso, Homeworld não domina mais galáxias, elas podem fazer o que elas quiserem, o problema é justamente esse, elas querem continuar terraformando planetas.

Infelizmente essa premissa é simplificada ao extremo. Por que Steven não explica que a nova diretriz é de preservar a vida orgânica e que ao destruir o planeta todos aqueles seres vivos irão morrer? Por que ele não tenta explicar o porquê de isso ser errado? A discussão das Gems que tinham uma função na ordem de dominação de Homeworld e que querem mantê-la porque é a única coisa que elas conhecem se torna, talvez se vocês descobrirem algo novo em vocês irão descobrir que não precisam destruir mundos e não existe uma razão pelo o qual vida deve ser mantida.

No final Lápis resolve tudo derrotando as duas com seus poderes apenas para Steven fazer uma cara de que ela estava errada por deter as Lápis, porque as Gems formando a Alexandrite para brincar de Steven Tag ou esmagar a Bluebird é um uso mais correto de seus poderes que deter duas Lápis que estavam terraformando planetas. No final, porém, ela convence pelo menos uma delas a vir para a Terra.


Steven Universe Future é uma série que precisa ainda de ajustes e poderia se beneficiar mais com episódios mais longos. Não sabemos se teremos mais temporadas além dessa, mas se for o caso, os episódios que temos não são nem de longe ruins, apenas mais da série que muitos amam. 

Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

Belas Maldições, a adaptação do livro escrito por Neil Gaiman (o autor de Coraline, Deuses Americanos e Stardust) e Terry Pratchett (o autor da série Discworld) finalmente saiu do papel e se tornou uma mini-série de seis episódios produzida pela Amazon Prime, e estrelada por nada mais nada menos que David Tennant, como o demônio CrowleyMichael Sheen, como o anjo Aziraphale, que apesar de serem criaturas completamente opostas, acabaram se tornando amigos improváveis e passaram a gostar um pouco demais de sua vida na Terra, porém tudo muda quando os dois descobrem que o Apocalipse está próximo e o Anti-Cristo será entregue. Logo, o anjo e o demônio decidem impedir a chegada do Fim dos Tempos e para isso, impedir que o jovem filho de Satã chegue ao auge do seu poder enquanto ele ainda é uma criança, o que eles não sabem é que eles estão de olho na criança errada...

Um anjo e um demônio



A primeira coisa que precisamos destacar nessa série é a maravilhosa química entre Aziraphale e Crowley, e o modo como os dois acabam se completando. 
A motivação dos dois para impedir o Fim dos Tempos também é incrível: os dois acabaram se acostumando com a Terra, com os bons vinhos, os restaurantes, os livros e tudo o que faz a vida valer a pena. Desse modo os dois acabam fazendo uma espécie de acordo de que Crowley tentará "cumprir" o plano inefável de Destruição e Aziraphale tentará impedi-lo, mas é claro, isso acaba indo por água abaixo tanto quanto um Dilúvio.

As Belas e Acuradas Profecias de Agnes Nutter



Enquanto isso, temos dois personagens igualmente opostos começando suas buscas: a bruxa Anathema Device (Adria Ajorna), a descendente da bruxa e profetisa Agnes Nutter, que está seguindo as profecias de sua ancestral para encontrar o Anticristo e impedir o Fim dos Tempos. Ao mesmo tempo o jovem Newton Pussifer (Jack Whitehall), o último e extremamente azarado descendente de caçadores de bruxas, que depois de ser expulso do seu emprego acaba sendo recrutado pelo Sargento Caçador-de-Bruxas Shadwell (Michael McKean), um caçador de bruxas que não tem dinheiro algum e divide um apartamento com uma das personagens pérolas dessa série: Madame Tracy (Miranda Richardson), uma prostituta semi-aposentada que também posa de vidente nas horas vagas. 
As cenas de interação entre os personagens não somente são hilárias em diversos momentos, como o jeito como tudo vai se entrelaçando é muito bem feito. Cada personagem tem o seu momento de contribuição 



Simples humor Britânico



O humor da série é simplesmente muito bem executado, tanto na química incrível que podem ter um anjo e um demônio, nas subversões e paródias dos clichês de Fim do Mundo e nas tiradas nonsense que sempre acabam surgindo uma hora ou outra dentro da série. Só na forma como os Anjos e os Demônios se comportam, as interações deles com os humanos e diversas outras tiradas bíblicas temos um prato cheio para quem gosta de um humor genuinamente britânico.


Belas Maldições é uma série muito bem feita e que merece ser vista, com efeitos visuais de razoáveis até incríveis, um elenco maravilhoso e com um texto divino. 




Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

Reviews

Previews

Artigos

Vídeos