Menu
» » » » O que achamos de Mortal Kombat X


Juninho Lima 18.4.15


Se tem uma palavra que descreve Mortal Kombat X é: POLÊMICA! Desde seu anúncio, o jogo de luta da NetherRealm Studios foi cercado por diversos acontecimentos. Vazamentos durante a produção, dublagem não satisfatória e personagens controversos são apenas alguns dos assuntos que cercam o game.

Lançado na última terça-feira (14 de Abril), o título veio para ficar e continuar o que seu antecessor e Injustice: Gods Among Us começaram: introduzir um enredo épico e cinematográfico em um jogo de "lutinha". Só que dessa vez, tudo está maior e melhor. Mas não pense que tudo são flores.

Quase um filme de luta - O Enredo de Mortal Kombat X


ATENÇÃO: Esse trecho contém alguns spoilers. Para evitá-los, vá direto para o próximo tópico. Prossiga por sua conta e risco.

[AQUI SE INICIAM OS SPOILERS]

O enredo de Mortal Kombat X começa 2 anos após os eventos de Mortal Kombat (2011). Quan Chi mantém em seu poder Liu Kang, Kitana, Sindel, Kabal e Striker, que são seus combatentes de mente controlada. O feiticeiro liberta Shinnok do submundo e uma invasão no Plano Terreno se inicia. Shinnok pretende corromper o "Jinsei" - a energia vital do Planeta Terra.


Impedido por Johnny Cage, Sonya e toda a "Força Especial",  o antigo deus ancestral é mandado novamente para o submundo através de um amuleto que o aprisiona novamente, e concede alguns anos de paz para a Terra.

Vinte e cinco anos se passam, e somos apresentados a uma nova geração de lutadores. Novos vilões e mocinhos tomam a frente em uma nova batalha contra o domínio de Shinnok sobre o Plano Terreno.

O amuleto jamais deveria cair nas mãos erradas, e fica sob proteção de Raiden. No entanto, no período atual em que o game se passa, ele é roubado por Mileena que pretende usá-lo na guerra contra Kotal Kahn, que quer tirá-la do trono da Exoterra - já que a mesma não possui direito algum ao reinado, por não ser filha legítima de Shao Kahn e pelo Osh-Tekk (raça de Kotal) descordar de seu governo no local (parte desses eventos são narrados nas HQ's).


Após derrotar Mileena - e eliminá-la (CHORO ETERNO), Kotal mantem o amuleto sob sua segurança, mas é traído por D'Vorah - sua principal aliada. D'Vorah é da raça Kytinn e parece um híbrido de humano e inseto. A traidora é devota de Shinnok e cooperou ao lado de Kotal na intenção de obter o amuleto e entregá-lo para Quan Chi liberar o exilado.

Toda essa guerra cheia de combates violentos e mortais, envolve várias reviravoltas na trama - como a descoberta da real história sobre a morte da família de Hanzo Hasashi (Scorpion), e a resolução de sua rivalidade com Sub-Zero e os Lin Kuei. Entre diversas traições e emoções que faz a história ter um clima de dramalhão mexicano por vezes - e isso não é ruim, acredite.

Vale citar todo o destaque dado para o quarteto de novatos da Força Especial e herdeiros de personagens antigos icônicos: Cassie Cage (filha de Sonya e Johnny Cage), Jacqui Briggs (filha de Jax), Takahashi Takeda (filho de Kenshi) e Kung Jin (primo de Kung Lao). Todo o desenvolvimento da trama colabora para o estabelecimento dos jovens como os novos rostos da franquia, e que a levarão a diante conforme personagens antigos vão saindo de cena.


Apesar de todo destaque, Cassie, Johnny e Sonya são os principais protagonistas do game. A família da Força Especial, são os principais agentes dos acontecimentos de Mortal Kombat X. E isso pode ser um pouco estranho para os fãs mais saudosistas que se acostumaram a ver Liu Kang sempre à frente. 

Por fim, o game tem um final satisfatório (quem aí aplaudiu a morte do Quan Chi?), onde o bem prevalece mas não da maneira que todos esperavam (quem aí quis matar o Scorpion após a consequência da morte do feiticeiro?). Kitana, Liu Kang e Kung Lao não voltaram a ser os mesmos. Sim, é isso mesmo! E de quebra, com a morte de Quan Chi, eles jamais poderão ser libertos da corrupção para terem suas almas purificadas, como Raiden fez com Jax e Scorpion. E como se não bastasse, o casal passa a governar o submundo no lugar de Quan Chi e são ameaçados pelo "novo" anti-herói Dark Raiden.

[AQUI TERMINAM OS SPOILERS]

Novos Ares - Um "novo" Mortal Kombat


Apesar de apresentar uma história rasa e pouco desinteressante, Mortal Kombat X conseguiu superar seu antecessor com cenas fantásticas de ação, e a bela composição da fotografia e os ângulos de câmera. Os 60fps nos consoles da nova geração fazem uma diferença absurda na fluidez da jogabilidade e é a cereja do bolo que é a produção do game em sua totalidade.

Tudo o que já era ótimo, está de volta, mas muito melhor e bem aprimorado. Os fatalities estão mais sanguinários, cruéis e nojentos (no melhor sentido), do que nunca antes! Haja criatividade e estômago por parte da equipe de produção. 

Essa é Cassie Cage tirando uma "selfie" após desfigurar seu oponente em um fatality brutal (invejosos dirão que é montagem)
Os Raio-X também estão no game, e trazem um realismo (graficamente falando) impressionante. Eles são mais difíceis de executar, levando em conta que o equilíbrio entre os personagens está maior e você precisará acionar os comandos no momento certo para não errar e desperdiçar a sua barra de "especiais".

Órgãos internos e ossos se partindo, nunca foram tão bem exibidos em Mortal Kombat
E para quem estava com saudades, o brutality está de volta, e apesar de parecer com o fatality, a finalização é um pouco mais simples, mas ainda assim violenta - e vai deixar seus oponentes de queixo caído com as mais diversas variações para os personagens.

Neste Brutality, Mileena devora as veias do pescoço de seu oponente
E falando em variações, outra novidade do game, é a versatilidade dos combatentes, que tem até 3 estilos diferentes de combate - que alteram seus golpes especiais e estratégia de luta. Essa possibilidade aumenta as maneiras como você poderá jogar com cada personagem, isso te força a conhecer a melhor maneira de enfrentar certos oponentes.

Os controles continuam bem trabalhados, e difíceis para os não experientes em jogos de luta - portanto, se você não tem dedos ágeis, trate de passar horas no modo treinamento. Todo esse emprenho vale a pena, se você quer deixar seu oponente caído ao executar os combos maravilhosos presentes no game. 

Isso tudo somado, torna Mortal Kombat X um dos melhores e mais belos jogos de luta da atualidade. Além de divertido, enche os olhos com belos gráficos. A sonorização do game também merece destaque. Urros de dor e agonia durante a pancadaria faz tudo ter mais realidade, assim como a nova modelagem dos personagens que estão mais humanizados - e mais carismáticos (com exceção da Sonya que está sem sal e nem açúcar).

Fiz questão de jogar o jogo com a dublagem em português do Brasil mesmo. Apesar de não ser fã de dublagem, quis matar a curiosidade e ter motivos para falar ou não da dublagem da cantora Pitty que gerou tantas polêmicas. 

Pitty vai equalizar a sua cara, interpretando Cassie Cage (entenda como quiser)
A dublagem está ruim sim, mas sejamos realistas. A direção da dublagem deixou a desejar na totalidade do game, afinal se o problema fosse apenas a Pitty, estaria bom. As vozes no nosso idioma estão mal interpretadas e com uma sincronia péssima. O trabalho de tradução e adaptação de certos diálogos deveriam ter sido mais bem trabalhados pela Warner. 

Se você odiou a dublagem da Pitty, não se preocupe. Não precisa ficar xingando na internet. Como a própria disse, caso você não saiba, tem a opção de jogar no áudio original. #SAMBAMESMOPITTY

O jogo tem diversos modos, além da história principal, que aumentam muito a vida útil do game. Mortal Kombat X exige muitas horas em frente ao console para adquirir todas os troféus/conquistas. 

P.S.: VOCÊ FOI ENGANADO


ATENÇÃO: Esse trecho contém alguns spoilers. Para evitá-los, vá direto para o próximo tópico. Prossiga por sua conta e risco.

[AQUI SE INICIAM OS SPOILERS]

Você provavelmente jogou o Mortal Kombat de 2011 e sabe que Kung Lao, Liu Kang e Kitana morreram, entre alguns outros personagens. E com certeza você ficou empolgado quando os viu de volta nos trailers de divulgação e imagens. Seria tão triste se você tivesse sido enganado, não?

Leia esse trecho como a indignação de um fã. As versões mais velhas de Liu Kang, Kung Lao e Kitana fora do domínio de Quan Chi, sequer aparecem durante a história ou fazem parte dela. Eles são apenas personagens jogáveis para não deixar o jogo sem a presença ilustres deles, e consequentemente, vender.

Você vai sim jogar com eles normalmente, mas isso não muda o fato dos mesmos estarem corrompidos pelo mal, e governando o submundo após a morte de Quan Chi.

Sim, é isso mesmo... Só resta sentar e chorar.

[AQUI TERMINAM OS SPOILERS]

FINISH HIM! - Vale a pena?


Mortal Kombat X renova a franquia e eleva seu nível de qualidade. Para os fãs de jogos de luta, é mais que obrigatório! A história tem proporções cinematográficas, e traz uma experiência consistente que prende jogador do início ao fim, algo quase inédito.

Toda a boa violência sanguinária está mais presente do que nunca antes, se prepare para sentir agonia durante as finalizações e se sentir feliz por ter aprendido a executar os golpes e combos.

Apesar de deslizar em alguns pequenos detalhes, como os furos da história que é um pouco rasa, Mortal Kombat X é uma das melhores produções já vistas no games de luta. Vale muito à pena!

"Here's Johnny" nas entranhas do oponente, perguntando pra você: "O que tá esperando pra comprar MKX?" 
Assista nosso gameplay do modo versus de Mortal Kombat X, e fique sempre de olho no nosso canal e nossa página:


Hypômetro


Enredo: 6
Criatividade: 9
Personagens: 9
Desafio: 7
Jogabilidade: 10
Diversão: 10
Soudtracks: 10

NOTA FINAL: 9

Ficha Técnica

Título: Mortal Kombat X (NetherRealm Studios) 
Plataformas: PlayStation 4, Xbox One e PC (versões para PlayStation 3 e Xbox 360 serão lançadas posteriormente).
Lançamento: 14 de Abril de 2015


Créditos


Escrito por: Juninho Lima
Colaboração: Lucas Bonfim
Revisão: Steven L. Andrade
Imagens: Juninho Lima

O texto não reflete a opinião do Co-op Geeks, e sim, do autor do artigo. Esse game foi analisado no PS4.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga