Menu
» » » » » » » Maggie: QUASE um The Last of Us


Mateus Henrique 11.5.15


Dirigido pelo novato Herny Hobson e estrelado pelo veterano Arnold Schwarzenngger, Maggie (Maggie: A Transformação aqui no Brasil) foi lançado no dia 8 de Maio e é um thriller dramático com uma premissa interessante, mas nada que já não tenhamos visto.

Com uma produção de baixo orçamento, Maggie não é um filme de terror, muito menos um filme de ação, mas sim um thriller dramático não convencional com alguns clímax de tensão e suspense.  A ideia é clara e chamativa: um pai que vive o drama de sua filha infectada por um vírus que vai transformá-la em um zumbi em poucas semanas e fará o que for preciso para encontrar uma cura e protegê-la. 

Wade (Arnold Schwazenneger) fará de tudo para manter Maggie (Abigail Breslin) e segurança. Sim, você já viu isso antes.
Não é de hoje que os filmes de zumbis estão extremamente desgastados, e é interessante quando surgem filmes com outras perspectivas e situações, como o caso de Maggie, por exemplo.  Uma premissa interessante e bons atores, algo poderia sair errado? Bom, na realidade, sim.

A trama do filme é bem simples: um apocalipse zumbi aconteceu (as causas e a origem não são reveladas), porém, a cidade e o sistema não sucumbiram – hospitais, policiais, tudo ainda existe. O vírus, diferente de outros vistos no cinema, transforma a pessoa lentamente, demorando semanas e até meses. Existe todo um sistema que cuida dessas pessoas que já se transformaram em zumbis: a tal “quarentena”. Os infectados são levados para lá e esperam por uma possível cura que os especialistas continuam procurando. Numa dessas, a filha de Wade, Maggie, acaba sendo mordida. E é aí que o drama começa.

Abigail Breslin interpreta Maggie, e é o destaque do filme.
O foco do filme é a relação entre Maggie e Wade, pai e filha, e é facilmente comparável com o que foi mostrado em The Last of Us, onde tínhamos um homem mais velho que perdeu sua filha precocemente, e vê em Ellie essa figura afetiva, e à todo custo irá protegê-la. Seria coincidência até demais, já que Maggie também se passa em um apocalipse zumbi.

O filme tem apenas 90 minutos, mas a sensação é que tem mais de 120 minutos. O ritmo do filme é tão lento e maçante, que a sensação é que nada anda ou progride.  Os primeiros trinta minutos são extremamente cansativos. A questão é que o filme não soube abordar de forma eficaz o fator psicológico de ambos os lados, as emoções, as perceptivas; é tudo muito raso e superficial, e como The Last of Us faz isso com louvor, é impossível não comparar e achar Maggie um filme fraco nesse sentido. 

Coincidência, ou não?
Com certeza, o mais decepcionante é ver o grande Arnold Scwazenegger tendo uma atuação nada convincente.  O ator não consegue transmitir uma sensação de importância com a filha e a emoção de perdê-la aos poucos, se nem ele consegue fazer isso, fica difícil você se simpatizar com algum personagem ou sentir alguma sentimento quanto as situações apresentadas.  No geral, tudo é aceitável e consistente, mas não é algo do nível que um filme do tipo precisava para cumprir o próprio objetivo. Deveria ser algo muito maior e atrativo. Quem leva os filmes nas costas é Abigail Breslin, ela rouba a cena em algumas partes e sem dúvidas, é o motivo maior para Maggie ser um filme que merece sua atenção.

Schwazenegger tem uma atuação precária no filme; algo decepcionante.
Os diálogos são rasos e superficiais. A trilha sonora praticamente é ausente.  A fotografia é bem simplória. O atrativo fica pela conta da curiosidade em ver o desfecho de tudo.  Se o filme carregasse mais diálogos extensos, profundos e com emoção – fazendo você se importar com tudo isso e se simpatizar com os personagens. E mostrasse outras perspectivas do drama, outras situações – saindo do monótono, seria bem mais interessante e menos cansativo. Ou seja, se você busca algo do tipo, com um assunto bem parecido, vá jogar The Last of Us, e seja feliz! 

Maggie não é um filme ruim, mas também está longe de ser um divisor de águas ou inovador. O filme peca na atuação e no desenvolvimento, mas vale assistir pelo fato de ter um tema já conhecido, mas ainda assim, diferente - no meio de tanto filme de zumbis saturados. Apesar das comparações com o game da Naughty Dog, um filme é um filme e não deixa de acrescentar a cultura pop. Confira o trailer de Maggie:


Ficha Técnica

Titulo original: Maggie
Ano: 2015
Direção: Henry Hobson

Elenco: Abigail Breslin; Arnold Schwarzenegger; Aiden Flowers; Amy Brassette; Brett Baker; Carsen Flowers.

Créditos

Texto: Mateus Henrique
Revisão e Imagens: Juninho Lima

O artigo representa as opiniões do autor do texto,e  não a opinião do Co-op Geeks.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga