Menu
» » » » » O que achamos de Metal Gear Solid V: Ground Zeroes


Paloma Cristini 12.5.14


Cercado por várias criticas e diversas perguntas assim que foi anunciado, o game Metal Gear Solid V: Ground Zeroes foi logo alvo dos fãs da série e por gamers em geral, seja pelo lado positivo ou negativo. Assim, ele foi esperado até o seu lançamento.


MGS V: Ground Zeroes segue a mesma jogabilidade de Metal Gear Solid 4: Guns of The Patriots; estilo Stealth (modo furtivo e inteligente), com uma visão em terceira pessoa com livre movimentação da câmera para melhor andamento na jogatina. Nada de novo para quem está acostumado com esse estilo de game.

O enredo também é algo bem simples e já conhecido pelos fãs. Começando por onde o game Metal Gear Solid: Peace Walker termina, a missão de Big Boss (Ou Naked Snake, para os íntimos) agora, é resgatar Chico Valenciano e Paz Ortega (personagens já visto em MGS: Peace Walker) em uma base americana situada em Cuba, sem desvios no objetivo principal.

Mas o game tem uma “novidade” que não agradou a todos: a missão principal, ou seja, o game todo, tem duração de no máximo 1 hora... Calma galerinha, se analisarmos bem por trás de todo esse drama, veremos o real motivo de tão pouca duração do game.


A grande novidade dentro de MGS V: Ground Zeroes é a nova engine que será usada, a partir de agora, para o desenvolvimento dos futuros jogos da série: a Fox Engine. Ela nos traz uma sensação mais realista na jogatina, pois os detalhes do cenário e aspecto do clima estão ali, interagindo todo o tempo com o nosso protagonista. Exemplo disso são alguns elementos, como a chuva, que presenciamos em toda a missão, caindo na câmera e no asfalto da base. Também a interação dos objetos que nos ajuda a nos “esconder” para nos ajudar a nos infiltrar na base, e até a movimentação de Big Boss fica mais realista, nos trazendo a sensação de realmente estar no meio de todo aquele enredo. A Fox Engine também nos permite explorar um mundo aberto perfeito, nos dando total liberdade para decidirmos qual a melhor forma de executar um plano e concluir a missão principal.


Resumindo tudo o que o game MGS V: Ground Zeroes engloba, pode-se dizer que o game é mais uma forma que Hideo Kojima nos disponibilizou para testarmos a Fox Engine, já que o game em si é somente um prólogo para seu projeto maior, o Metal Gear Solid V: The Phantom Pain.


Um conselho? Quem realmente é fã da série e quer aumentar a coleção, realmente vale a pena ter esse game em mídia física, aproveitando ao máximo. Mas se você só quer testar a nova engine que promete deixar os futuros games mais realistas e ter mais alguns troféus para sua lista, é aconselhável obter o game em mídia digital e ir jogando as missões extras que o game oferece, causando assim um gostinho de “quero mais” até o lançamento de Metal Gear Solid V : The Phantom Pain.


Enredo: 6
Jogabilidade: 10
Gráficos: 10
Criatividade: 6
Personagens: 10
Diversão: 7
Soudtracks: 9

NOTA FINAL: 8,5

Ficha técnica:

Título: Metal Gear Solid V: Ground Zeroes
Ano de lançamento: 2014

Créditos

Texto: Paloma Cristini
Imagens e revisão: Steven L. Andrade

O texto não reflete a opinião do Co-op Geeks, e sim do autor do artigo.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga