Menu
» » » » Odyssey: O primeiro console da história


Bruno Bolner 29.7.15


Somos todos apaixonados por jogos e videogames. Adoramos passar horas e horas com um controle na mão ou na frente do computador, realizando saques, lutando contra hordas de monstros, resgatando princesas, criando mundos ou participando de grandes guerras. Vivemos e revivemos histórias fantásticas através dos bits. Mas será que é sabido como isso tudo começou?

Lá no início da década de 50, por volta de 1951, Ralph Baer teve uma ideia bem esquisita para a época, mas que seria revolucionário. Claro que ele não sabia disso ainda, mas não deixou de tentar e, em 1966, ele começou a colocar no papel o seu projeto.

Inicialmente, o projeto possuía 4 páginas e o desenho de um aparelho que seria conectado a uma televisão. Hoje é algo muito comum de se fazer, mas naquela época, os aparelhos computacionais eram muito grandes e extremamente caros.

No mesmo ano começou a produzir o primeiro protótipo e, no ano seguinte, foi produzido o primeiro controle, que tinha o formato de uma pistola. Somente no ano seguinte, em 1968, que seu desenvolvimento foi concluído. Cerca de 2 anos para criar um produto que revolucionaria o mundo do entretenimento. O Brown Box, como foi chamado, possuía controles externos e capacidade para 10 jogos na memória. O videogame também conseguia mudar a cor da tela para simular os cenários dos jogos, alterando entre os ambientes de gelo, campo, etc.

O primeiro jogo para o console foi desenvolvido juntamente com Bill Rush e Bill Harrison, e era um jogo bastante simples de tênis. Posteriormente, este jogo foi a inspiração para Nolan Burshell, fundador da Atari, criar o jogo Pong.


Com seu protótipo concluído, Baer correu atrás de uma empresa que estivesse interessada no seu videogame. Visitou empresas grandes da época, como a General Electric e a Zenith, porém ambas não quiseram investir, pois era um tiro no escuro, dadas as circunstâncias da época. Quem acabou mostrando interesse e viu futuro na ideia foi a Magnavox, que se tornou a distribuidora oficial da ideia do Brown Box.

Entre 1970 e 1972, a Magnavox e Baer trabalharam duro para desenvolver seu produto final, que chegaria ao mercado em abril de 1972, se chamando Odyssey. Foi lançado custando $100 (cem dólares), que era muito dinheiro naquele tempo. Possuía 2 controles e 6 chips contendo 12 jogos. Estes chips eram conectores que habilitavam os jogos, pois, na verdade, o código dos jogos estava na memória do console. Confira o comercial de lançamento do console:


Os jogos eram Table Tennis, Tennis, Hockey, Cat and Mouse, Football, Ski, States, Roulette, Haunted House, Analogic, Simon Says e Submarine. Estes jogos utilizavam folhas de acetato fixados na televisão, para compensar a baixa resolução das imagens e criar os cenários do jogo, exceto Tennis, que não fazia uso disso. Essas folhas simulavam as marcas do campo do jogo de futebol, por exemplo, já que a máquina não era capaz de desenhar as linhas de demarcação do campo. Alguns deles, ainda, eram jogados em conjunto com tabuleiros e seus placares eram anotados em papel ou marcadores mecânicos.

Com uma jogada de marketing mal sucedida, suas propagandas insinuavam que ele só funcionaria em televisores da própria Magnavox, numa tentativa da empresa aumentar suas vendas com os dois produtos. Mesmo que o console tenha caído no gosto das pessoas, os índices não subiram e o videogame vendeu apenas 100 mil unidades.


Mesmo com o baixo número de vendas, a Magnavox viu que tinha mercado para este tipo de produto e trabalhou na sua sequência, em conjunto com a Philips, lançando o Odyssey 2 em 1978, trazendo um teclado e um jogo de tênis na memória. Porém, foi ofuscado pelo Atari 2600, lançado um ano antes.
Agora que já sabemos um pouco mais sobre a origem de um dos nossos passatempos preferidos, que tal pegar o controle, ligar a tv e escolher aquele game massa? Let's play!

Créditos

Texto: Bruno Bolner
Revisão e Imagens: Juninho Lima

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga