Menu
» » » » » » » 4 Franquias fantásticas que a Square Enix abandonou


Igor Oliveira 3.8.15


Não é de hoje que várias empresas abandonam jogos que tinham tudo para dar certo ou que deram certo, mas por um motivo desconhecido não deram continuidade nos mesmos. E hoje nós iremos comentar alguns títulos abandonados pela nossa querida e amada Square Enix, para os mais saudosista e íntimos, a SquareSoft. Pegue os seus lenços, pois o choro é livre.

4 - Xenogears


Xenogears é mais um dos RPGs fabulosos da Square que foi deixado pra trás. No jogo você acompanha a jornada do desmemoriado lutador de artes marciais e pintor Fei Fong Wong e sua turma que busca sobreviver entre a guerra das nações de Aveh e Kislev.


O enredo do jogo chega a ser intrigante por conta da filosofia e religião abordados de maneira peculiar. A aposta do game é questionar as suas memórias, mas o que se destaca é a jogabilidade que te oferece "várias" oportunidades de ataques, que vão desde batalhas corpo a corpo, à batalhas com super-robôs - sim, algumas batalhas tem uma pegada tecnológica que no começo te deixa apreensivo, mas nada tão gritante, e são essas batalhas que fazem você suspirar. No fim, o jogo até teve uma boa recepção geral. O Metacritic deu 84/100 de 15 críticos.

Sua trilha sonora tem um compositor de peso: Yasunori Mitsuda que ajudou em Chrono Trigger e Chrono Cross e muitos outros jogos elogiados da Square; então vocês devem imaginar como deve ser a trilha do jogo. Em 2002 a Namco criou o jogo Xenosaga, e muitos o consideram sucessor espiritual de Xenogears.

3 - Chrono Trigger





Chrono Trigger o tão aclamado RPG eletrônico da Square Enix, considerado por boa parte da indústria uma obra prima tanto por parte de historia, jogabilidade, enredo e principalmente trilha sonora que a mesma recebeu um CD triplo no Japão, tornando-se uma das trilhas de video-games de maior sucesso da história. Este trabalho foi a estréia do compositor Yasunori Mitsuda que neste mesmo artigo já foi citado em Xenogears, o jogador assume o controle de sete personagens que vieram de diversas eras distantes.



A aventura começa, quando Chrono está passeando por entre as atrações de uma feira, e ele encontra Lucca, uma amiga de Chrono, que é uma cientista e vive inventando máquinas. Dessa vez ela apareceu com algo inusitado: um teletransportador passa por um portal a fim de resgatar uma garota que acidentalmente é teletransportada, e ele descobre que viajou para o passado, caindo em plena era medieval. Lá, ele se envolve com a família real e um valoroso guerreiro, o jogo atingiu 92/10 no metacritic e vendeu no portátil Nintendo DS em torno de 3.63 milhões de cópias.



2 - Vagrant Story


Não tão popular como os outros, mas tão memorável quanto, Vagrant Story não deixa a desejar; muito pelo contrario. Ele trás uma jogabilidade única e um RPG eletrônico com uma forma diferente - o game não conta uma loja para comprar itens e o protagonista Ashkey Riot não interage com outros personagens.

O jogo mantém o foco na criação e customização de suas armas e armaduras, tendo vários puzzles e batalhas que exigem estratégia, a história gira em torno de Ashkey que tem o objetivo de provar sua inocência de uma acusação de assassinato ao Duque Bardorba. Os eventos do jogo se passam há uma semana antes do assassinato. O título vendeu em torno de 0.87 milhões e atingiu 92/100. Vagrant Story acabou sendo ofuscado com outros grandes lançamentos da Square Enix como FFIX e Chrono Cross.

1 - Parasite Eve


Definitivamente o primeiro da lista: Parasite Eve. É um RPG eletrônico de ação e Survival Horror, no jogo você assume o controle de Aya Brea - uma jovem policial novata que vê sua vida revirada após um incidente em um teatro em Nova Iorque e a partir deste incidente ela descobre detalhes sobre seu passado e a trama se desenvolve em torno de Aya e Eve.


Aya Brea teve seus dias de glória no mundo dos games, e Parasite Eve é considerado até hoje, uma das maiores referências entre os jogos de Survival Horror. Infelizmente, hoje a franquia vive na prateleira dos esquecidos. O primeiro jogo vendeu 2.10 milhões e atingiu 81/100 pelo Metacritic, o segundo 0.58 milhões e atingiu 79/100 nos mesmos padrões de crítica. Já o terceiro 0.49 milhões e atingiu no 71/100 pelo órgão, mas como a esperança é a ultima que morre no recente trailer do Final Fantasy VII REMAKE, conseguimos ver um cartaz com a imagem da arte conceitual da capa do ultimo jogo protagonizado por Aya.

A trilha sonora do jogo não deixa a desejar e deixam muitas trilhas consagradas no chinelo, Primal Eyes é o “hit” do jogo ela está presente em todos os jogos e a cada jogo ela é reformulada com alguns remixes e a jogabilidade a cada jogo se reinventa a maior mudança foi do segundo para o terceiro jogo que de RPG com Survival Horror foi para RPG com Shooter. SERÁ QUE ESSE FOI O ERRO DA SQUARE?

Todos fazendo a linha Capcom: ¯\_(ツ)_/¯

Conclusão que podemos tirar: a Square Enix tem um baú com vários tesouros; só resta ela utilizar com sabedoria os seus tesouros e triunfar novamente com esses jogos maravilhosos.

E assim como eu você sente falta de algum jogo que a Square deixou no baú? Conta pra gente aqui nos comentários!

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga