Menu
» » » » » » A trilha para a Guerra Civil [SEM SPOILERS]


Vitor dos Santos 3.5.16


O filme "Capitão América: Guerra Civil", sem dúvida, foi um dos filmes mais esperados de 2016, e com isso, muitos esperam um filme grandioso que marcará a abertura de novos arcos no universo cinematográfico criado pela Marvel Studios, mas antes de conferir o filme, é interessante analisar o arco apresentado de uma forma geral - analisando principalmente a sua progressão nos quadrinhos. Confira o trailer do filme:


Nós já assistimos o filme, e estamos prontos para falar de todos os pontos da nova aventura envolvendo os heróis da Marvel.

ATENÇÃO: Esse texto possui duas fazes - a primeira destinada aos aficionados por histórias em quadrinhos da Marvel, e outra destinada aos leitores interessados em ler a nossa análise do filme "Capitão América: Guerra Civil". Ambas fases fazem parte de um único texto e elas se completam. Para todo o entendimento do contexto, é recomendado ler o texto na íntegra, mas se quiser ir direto ao ponto, escolha a sua fase através dos avisos entre colchetes. ESSE TEXTO NÃO CONTÉM SPOILERS, LEIA SEM PREOCUPAÇÕES!

[FASE 1 - DESTINADA AOS LEITORES DOS QUADRINHOS]  

Anos e mais anos se passaram, os tempos cada vez mais se adequavam ao novo padrão que o público de cada mídia individual apresentava e era moldado. O mundo dos quadrinhos sofreu mudanças com o tempo, algumas positivas, outras negativas. E em todos esses anos, foram poucos os quadrinhos da Marvel que conseguiram balançar com todo o sistema do universo que esses personagens vivem. A última vez que vimos isso foi em "Guerras Secretas", talvez? É uma possibilidade.

Porém, desde 2003/2004 nós vemos que a Marvel veio trazendo panejamentos para uma reestruturação no seu universo de personagens, uma nova trilha estava sendo criada para eles, novas aventuras, conflitos, intrigas, divisões e temáticas antes abordadas porém agora parecia que iria ser para valer. A Marvel é conhecida por sempre planejar seus acontecimentos com pelo menos dois anos de antecedência, encontros entre desenhistas, roteiristas, produtores e editores para ser colocado em pauta na mesa: ''Para onde vamos em 2 anos a partir de agora?''. Apesar de sempre planejarem, era uma bagunça ler os quadrinhos – parecia que cada personagem possuía sua história individual vivendo em um universo paralelo, nada estava conectado e a cronologia até mesmo se bagunçava.



 
Eis que em meados de 2001-2002, Joe Quesada assume como editor chefe da Marvel e começamos a ver indícios de mudança. Suas intenções era arrumar toda essa cronologia bagunçada que os quadrinhos estava tendo, um novo status co. para tornar as leituras mais palpáveis.

E tudo isso começa em "Vingadores – A Queda"

Essa saga nos mostra o fim dos Vingadores na sua formação mais duradoura. A mansão dos heróis é destruída, atacados inimigos conhecidos dos Vingadores, os Kree. Personagens enlouquecem, outros que participaram dos Vingadores foram chamados a ajudar nesse caso e após o desfecho da história, temos uma nova Equipe de Vingadores e assim temos o início do que viria ser uma cronologia interligada com as histórias e seus personagens fazendo parte de um universo compartilhado

A Nova Fase da Marvel: Dinastia M


Imaginem todas as coisas ruins que você já passou na vida, todas aquelas coisas que você olha e pensa de forma otimista que estão lá pois são obstáculos obrigatórios que a vida te impõe para crescer como indivíduo. Pois bem, imagine se cada pessoa nunca tivesse essas dificuldades, perdas, e vivessem no seu mundo perfeito! Isso é a "Dinastia M"!

Após os eventos de conclusão de "Vingadores A Queda", uma personagem bem emocionalmente desequilibrada está sendo tratada – ou ao menos estão tentando trata-la, na mansão dos conhecidos X-Men. Após algumas discussões, intrigas e motivos de spoilers (vá ler, é muito bom!), algo acontece e essa personagem perde a cabeça DE VEZ! No final dessa saga temos os sonhos e as realidades perfeitas sendo descobertas, desfeitas e quase a extinção dos mutantes.

Está vendo o que tem acontecido? Primeiro os Vingadores, agora os X-Men. Grupos que possuíam inúmeros personagens difíceis de se controlar nos quadrinhos, cada um com suas histórias próprias e alguns que mexiam demais com a cronologia de forma que bagunçava. Porém, tudo isso tem sido a construção para um outro evento. O que estamos bem familiarizados.

Muitas outras coisas aconteceram nesse caminho, entre elas o famoso Planeta Hulk. Porém, não falarei dele aqui e focarei logo no big picture dessa postagem: Vamos falar sobre GUERRA CIVIL, a conclusão de todo esse arco, assim como também a grande motivação de Quesada sendo exposta do seu mandado na Marvel. Sagas e Sagas criadas, personagens e histórias interligadas e chegamos nessa história que nunca achávamos que um dia teria seu espaço no cinema.

E seu dia chegou


Nos quadrinhos, temos o grande estopim para o início do que seria a grande divisão da maior parcela dos heróis e que mexeria com todo o status co do universo da Marvel

Após um grupo de adolescentes se encaminharem até o esconderijo de um grupo de vilões para conseguirem audiência em um programa na televisão, eis que uma catástrofe acontece e o governo – junto da sua população, não aguenta mais que os heróis tomem atitudes tão infelizes e inconsequentes na hora de salvarem o mundo, não somente por heróis despreparados estarem dispostos a enfrentar vilões por popularidade, mas também eventos passados com personagens capazes de alterar a própria realidade. Eis que o governo toma uma atitude:

O Ato de Registro – ação extrema que o governo achou necessário para colocar todos aqueles com super poderes que estiverem dispostos a serem treinados, avaliados, observados e conduzidos pelo governo para salvarem o mundo de uma maneira que suas consequências também sejam respondidas por eles mesmos, assumindo assim a culpa pelo que fizerem futuramente. E é a partir daqui que os heróis começam a se dividir: Devemos nos registrar... ou não devemos nos registrar. Controle contra Liberdade.


Foi com base nesse roteiro e toda essa nova estruturação que a Marvel veio construindo para seu universo que uma popularidade incrível foi realizada, até hoje pessoas discutem o valor de ambos os lados da história, se sentem mal pelo desfecho que a Guerra Civil teve nos quadrinhos mas o importante é: Quem imaginaria que teríamos isso nos cinemas? A Marvel nos entregou Homem de Ferro, quadrinhos de um herói que ná época não era tão importante e teve a popularidade alavancada incrivelmente com o sucesso da atuação de Robert Downey Jr que é indispensável nos dias de hoje quando falamos de interpretar o personagem Tony Stark.

Após o sucesso, tivemos mais títulos no universo cinematográfico como Hulk, Thor e Capitão América. Para assim, vermos na tela do cinema todos os Vingadores reunidos. Quem imaginaria que esse dia iria chegar? E foi surpreendente, ver todos aqueles personagens trabalhando em equipe para deter um mal maior, juntos e unidos como nos quadrinhos. Exatamente como nos quadrinhos!

Mas com o tempo, o universo cinematográfico da Marvel começou a nos dar indícios de que uma desunião estava acontecendo. Pequenas pontinhas, indícios curtos e ate mesmo somente algumas falas. Mas mesmo assim, ninguém imaginaria que Vingadores 2, Capitão América Soldado Invernal, Homem Formiga e Thor 2 estava lentamente nos preparando para o que já antes tínhamos visto nos quadrinhos.

[FASE 2: NOSSA ANÁLISE DO FILME "CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL"]

Capitão América: Guerra Civil - O Embate entre heróis.


Quais palavras utilizar para descrever esse filme? Capitão América Guerra Civil não é completamente diferente dos quadrinhos, porém o caminho e os meios utilizados para nos mostrar toda essa trama é bem diferente, emotivo, as idealizações são bem mostradas e você consegue sentir o peso da duvida e entender perfeitamente porque ambos os lados estão defendendo suas ideologias de estarem contra ou a favor do ato de Registro que no filme ficou conhecido como O Tratado de Sokovia.

Nos emocionamos com o filme e com o andamento que a trama segue, catástrofes acontecendo uma atrás da outra e cada vez mais deixando a duvida nas pessoas de se existe uma necessidade dos heróis estarem ali nos ajudando... se eles são parte da culpa de estarmos aqui no meio de destroços. E ao lado disso, temos o que seria a continuação da trama de Soldado Invernal com o filme nos mostrando que a Hydra está de volta, não tão forte como antes mas agora temos revelações bem empolgantes sobre a mesma.

Algo que muitas pessoas se perguntaram foi: Guerra Civil nos quadrinhos acaba mostrando que Tony Stark é quase completamente um vilão pelas suas ações tomadas no decorrer da história, tendo atitudes radicais e até mesmo se fazendo de ditador para conseguir controlar aqueles que se opõem a sua ideologia. Nesse filme, então, devemos apoiar o Capitão América!

Bem... não é totalmente assim. Sabe aquele Tony Stark arrogante e desprezível dos filmes anteriores, sempre com piadinhas e quase não levando nada a sério? Pois bem, parte disso está de volta,mas o filme quer nos mostrar que suas atitudes agora possuem cautela. O coração do rapaz o tornou uma pessoa boa após os eventos dos filmes anteriores e do seu sentimento de culpa por grande parte de seu envolvimento nesses incidentes. O Personagem consegue ser bem desenvolvido mesmo com muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e sem ficar massante, afinal, a Marvel Studios não tem a responsabilidade de te lembrar quem é Viúva Negra, quem é Sharon Carter, quem é Steve Rogers, quem é Bucky Barnes, quem são os Vingadores e qual o papel deles nesse mundo. Tivemos muitos anos aprendendo isso e a Marvel sabe, por isso ela tratou de avançar a trama e nos jogar para a continuação dos eventos de "Soldado Invernal" que emenda diretamente no "Guerra Civil".


O filme nos entrega uma história continua e com final que deixa aquele salzinho na boca, não agradando alguns e principalmente mostrando que o conflito dentro do próprio universo cinematográfico da Marvel vai continuar para os próximos filmes e provavelmente ser melhor explorado daqui em diante. 

Os personagens são bem desenvolvidos, até mesmo os mais secundários possuem seus momentos curtos onde são explorados com falas que mostram suas personalidades e lados de suas ideologias quanto a tudo que está acontecendo.

As cenas de ação são muito bem trabalhadas - heróis brigando entre si nunca antes foi tão divertido de se ver, uma cena atrás da outra e enquadramentos tão lindos que remetem tanto aos quadrinhos que deixam até aquele gostinho de quero mais – dando um destaque a cena final cujo na opinião deste que está escrevendo, talvez seja a melhor cena de luta entre heróis já produzida no cinema desde que iniciamos nossa jornada como fã desses filmes de super heróis no cinema. Ela é bem produzida, sua coreografia é digna de aplausos intermináveis, é emocionante e te deixa, como eu falei, com aquele sal na boca e desconforto. É triste, mas no fim vemos que o nome ''Guerra'' acaba não se mostrando tão forte quanto nos quadrinhos já que não temos grandes consequências disso, pois não sabemos se eventos que se iniciaram nesse filme vão ser levados para os próximos filmes com tanta força como imaginamos que vá.

As atuações são dignas de aplausos, uma salva de aplausos especiais para Tom Holland que conseguiu nos entregar um Homem-Aranha perfeito com diversas piadas durante suas lutas e uma personalidade de garoto adolescente, transparecendo bem o personagem dos quadrinhos no cinema. Outra salva de palmas que eu gostaria de mencionar e dizer que é merecido é Chadwick Boseman que em sua primeira aparição no UCM conseguiu nos interpretar um excelente T'chala e sua performance como Pantera Negra é digna de premiações - um personagem carismático e com profundidade a ser trabalhada nos próximos filmes agora que carrega um grande peso em seus ombros, ser líder de Wakanda não é uma tarefa para qualquer um.

O filme pode ser encarado como "raso" aos leitores e conhecedores da mitologia das HQs, que, no arco "Guerra Civil" apresenta uma obscuridade, seriedade e maturidade fora do comuns. O clima de urgência e luto apresentado no material original não deve ser esperado no filme, que cumpre seu papel homogenizando-se aos outros filmes já lançados, se tratando de um dos melhores da franquia cinematográfica. Um título obrigatório que deve ser assistido em 2016!

Se você não decidiu em qual time ficar, assista nosso vídeo e entenda melhor a briga dos heróis nos cinemas:


[FASE 1 - DESTINADA AOS LEITORES DOS QUADRINHOS]  

Civil War 2 – De que lado você está?


Noticias rolaram alguns meses antes do filme ter estreado no cinemas de que a Marvel estaria começando a dar indícios de que a continuação da nossa tão adorável e polêmica saga, Guerra Civil, receberia uma continuação nos quadrinhos dando procedimento aos eventos que procedem os quadrinhos da atualidade, Marvel All-New All-Different, que é uma reestruturação de alguns quadrinhos os deixando mais palpável para o publico atual mas sem rebootar os personagens para quem já vinha lendo e já vinha gostando do que estava sendo feito.

Não demorou muito e foi confirmado que Guerra Civil 2 nos quadrinhos terá o embate ideológico entre Homem de Ferro – Tony Stark e Capitã Marvel – Carol Danvers. A Trama em seu maior estilo Minority Report – filme fantástico, só por dizer – seguirá quando um personagem ainda desconhecido com capacidades de prever o futuro entra em cena e como consequência de utilizar seus poderes para prever e prevenir certos eventos, acaba gerando a morte de um herói ainda desconhecido que não foi revelado. Eis que a divisão entre os personagens da Marvel novamente acontecem com Tony Stark apoiando que não devemos mexer no futuro que está para vir, devemos aceitar as responsabilidades pelo que vier e lidar com elas. Enquanto Carol Danvers apoia que utilizemos os nossos poderes de prever o futuro para que certas catástrofes e eventos perigosos não aconteçam, afinal se temos esses poderes e eles nos foi concebido, devemos utiliza-los.

A Trama, em curto prazo e pelo que foi mostrado, não parece ser nova e muito menos algo que gere muitas discussões, podemos ver que claramente a Marvel está criando algo em cima do Hype construído pelo filme. O que podemos esperar é que Brian Micheal Bendis nos entregue um roteiro muito bom com qual nos faça se importar com esses personagens e o que eles vão se envolver agora, assim como David Marquez nos entregue incríveis desenhos para deslumbrarmos.

Nós vamos nos despedindo por aqui, obrigado pela sua atenção. Mas antes, e você, amigo? De que lado você está dessa vez? Protegendo o Futuro? Ou Prevendo o Futuro?

Ficha Técnica

Título Original: Captain America: Civil War
Lançamento: 28/04/2016
Elenco: Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlet Johanson, Elizabeth Olsen, Chadwich Boseman, Tom Holland, Don Cheadle, Paul Rudd, Jeremy Renner e Anthony Mackie.
Direção: Joe Russo e Anthony Russo

Créditos

Texto: Vitor dos Santos e Weslley Souza

O texto apresenta as opiniões e ideias dos autores e não do site Co-op Geeks

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga