Menu
» » » » » O que achamos de Britney Spears: American Dream


Marcelo Henrique 23.6.16


Não é de hoje que, vez ou outra, a famigerada indústria dos jogos eletrônicos mexe os seus pauzinhos para nos surpreender com algumas das combinações mais inusitadas já arquitetadas pela brilhante mente humana. Seja pelos inúmeros lançamentos que misturam elementos de ficção científica com aventura e ação ou pelos games de estratégia que exigem do jogador muito mais do que mera noção básica de raciocínio lógico, é chegado o momento em que a inovação precisa acompanhar a tecnologia e também fazer um upgrade no que tem sido tendência atualmente. E, existe, em pleno 2016, maior febre senão os joguinhos e aplicativos produzidos especialmente para smartphones, tablets e seus assemelhados?

Unindo música pop à misteriosa fórmula secreta detida por Kim Kardashian em sua bem-sucedida estreia pelo mundo virtual, ninguém menos que Britney Spears decidiu se juntar ao time seguindo os passos da popular socialite e investindo em sua multifacetada carreira como empresária. Liberando a sua própria versão cartoonizada em um jogo que leva o seu próprio nome, a “Princesinha do Pop” finalmente presenteou os seus fãs mais geeks com a parte 2 para a sua primeira aventura pelo universo dos jogos eletrônicos (que ocorreu lá em 2002 com o “Britney’s Dance Beat”, exclusivo para PlayStation 2, Game Boy Advance e PC). Intitulado “Britney Spears: American Dream”, o game que ganhou a internet no mês passado é o assunto da nossa publicação de hoje e você confere, a seguir, tudo o que precisa saber sobre ele!

Do pop para o seu celular


Tida como uma das maiores entertainers de todos os tempos, não demorou muito para Britney Spears conquistar o público com suas músicas altamente chicletes, suas coreografias mais do que complexas e seus shows regados a pirotecnia do início ao fim. Agora com 17 anos de carreira e dona de um império construído em cima de infinitas polêmicas e superexposição aos tabloides, desde sua estreia Britney tem sido vista como o clássico modelo do tão venerado sonho de consumo norte-americano: loira, bonita, rica e moldada para ser perfeita.

Chegando até o fundo do poço e ressurgindo pouco tempo depois em um típico exemplo de que “a esperança deve ser a última a morrer”, foi graças à sua persistência que atualmente a veterana permanece como uma das maiores estrelas da contemporaneidade. Porém, entre consecutivos altos e baixos, não podemos nos esquecer que, em seus mais sombrios e remotos dias, Spears já havia se posicionado sobre tudo isso ao não economizar na ironia e se autoproclamar “a Senhorita Sonho Americano” – logo no primeiro verso de um de seus maiores hits: “Piece of Me”, do álbum “Blackout” (de 2007).

Tornando-se uma referência para sua exitosa carreira, a dura indireta lançada como forma de crítica à doentia perseguição sofrida pela mídia acabou sendo bem recebida pelo público e, hoje, dá nome a um dos aplicativos mais procurados pelos fãs da cantora e pelos viciados de plantão em joguinhos para celular.

Como funciona


Como não é muito difícil de se imaginar, “Britney Spears: American Dream” segue a temática trazida por “Kim Kardashian: Hollywood” na qual o jogador pode criar o seu próprio avatar e customizá-lo como bem entender. Trilhando uma jornada até o sucesso que te desafia constantemente a criar as suas próprias músicas, capas de singles e optar pela sonoridade desejada (indo de pop a hip-hop, rock a eletrônica), por diversas vezes a própria Britney entrará em cena para pedir a sua ajuda e lhe aconselhar acerca dos obstáculos que aparecerão na sua vida de “nova sensação do momento”.

Lançado no mês passado para iOS e Android, o game é classificado como RPG e pode ser baixado totalmente de graça nas principais plataformas móveis do mercado. Todavia, assim como a maioria das ofertas muito generosas disponíveis por aí, todo cuidado é pouco ao usuário mais desapercebido: da mesma forma que seu antecessor (o “Hollywood”, da Kim), “American Dream” permite ao jogador gastar dinheiro de verdade na compra de itens exclusivos que variam de roupas a carros, lanchas e animais de estimação. Portanto, saiba desde já que essa convidativa experiência gratuita poderá se sobressair com um custo muito mais alto que o esperado!

Criado pela “Glu Mobile” (o mesmo de “Katy Perry Pop”, “Kendall & Kylie” e claro, “Kim Kardashian: Hollywood”), o jogo ainda permite que você:

• dispute nas paradas de sucesso com os outros jogadores;

• faça shows por todo o mundo – de lanchonetes locais a estádios internacionais, rumo ao palco da Britney no “Planet Hollywood”;

• junte-se a uma gravadora com outros aspirantes a estrelas pop ou crie a sua.
Confira algumas imagens do jogo (clique para ampliar):


Falta de originalidade?

Em meio a tantas dúvidas e palpites inquietantes, alguns pontos se mostram bem relevantes e merecem a nossa atenção.
Se, por um lado, “Britney Spears: American Dream” segue a tendência de “Kim Kardashian: Hollywood” – e, à primeira vista, reflete-se como uma reformulada réplica do título veiculado pela socialite –, por outro o lançamento também não chega a causar tanto impacto por não ser o primeiro associado a uma celebridade envolvida com o cenário musical (já que Demi Lovato e Katy Perry já possuíam as suas próprias versões cartoonizadas antes mesmo da “Princesinha do Pop” chegar por aqui). Contudo, de qualquer maneira alguns pontos positivos vêm à tona e não poderiam ser esquecidos.

Soando, desde o seu início, menos superficial que o primogênito da “Glu Mobile” – já que lá você dividia o seu tempo entre “modelar” e adquirir fama a qualquer custo, enquanto aqui realmente possui uma profissão sólida e reconhecida –, “Britney Spears: American Dream” acerta ao focar na representatividade e trazer diversos personagens com as mais variadas cores de pele, cabelo e estilos de vida. Podendo flertar com quem você bem entender (independente da orientação sexual), os conselhos de Britney se mostram bem genuínos e revezam da sua atenção entre os gráficos bem desenhados e os diálogos engraçados.

Entretanto, entre passos certeiros que culminam no sistema de charts que te deixará enlouquecido para atingir o topo, o lançamento peca mortalmente na transmissão abusiva de propagandas, no uso limitado da sua energia (que deverá demorar aproximadamente 2 horas para ser reabastecida) e na tradução – que, vez ou outra, é apresentada bem ao estilo Google Tradutor. Ah, e isso quando um bug ou outro não surge misteriosamente para “comer” a última tarefa realizada e deixar o jogador levemente enraivecido.

Se você é fã da cantora e mal pode esperar para ouvir os instrumentais de “...Baby One More Time”, “Toxic” e “Womanizer” tocando ao fundo dos diversos cenários que visita, “American Dream” até que se mostra uma ótima dica de passatempo que agradará a todos os amantes da música pop. Agora, se espera encontrar aqui um game de alta linha que mudará a sua vida para sempre, talvez seja o momento de fazer algumas buscas pela internet à procura de outro título que cumpra as suas expectativas – quem sabe um liberado para outras modalidades de console, não é mesmo?

Ficha técnica

Título Original: “Britney Spears: American Dream”;

Desenvolvedora: “Glu Mobile”;

Plataforma: iOS e Android;

Lançamento: maio de 2016.

Créditos

Texto: Marcelo Henrique


A análise apresenta as opiniões e ideias do autor do texto, e não do site Co-op Geeks.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga