Menu
» » » » 5 Animações japonesas obrigatórias


Bruno Bolner 8.2.17


A cultura japonesa é muito bem recebida pelo público mundial, especialmente no Brasil, que está sempre consumindo massivamente tudo o que é criado na terra do sol nascente.
Pensando nisso, esta lista foi criada para que você conheça algumas das animações japonesas essenciais na minha humilde opinião e aproveite alguns dos melhores materiais que nossos amigos nipônicos já produziram no cinema.

Paprika


Paprika é baseado no romance de Yasutaka Tsutsui, tendo sido produzido e dirigido por Satoshi Kon, pelo estúdio Madhouse. Sua produção foi concebida em 2005, porém só em 2007 chegou ao Brasil. O Ministério da Justiça o classificou como +12.
Sinopse:
Num futuro próximo, o Dr. Tokita inventa um poderoso aparelho chamado DC-Mini, que torna possível o acesso aos sonhos das pessoas. Sua colega, a Dra. Atsuko Chiba, psicoterapeuta e pesquisadora de ponta, desenvolve um tratamento psiquiátrico revolucionário a partir do aparelho. Mas, antes de seu uso ser sancionado pelo governo, o DC-Mini é roubado. Quando vários dos pesquisadores do laboratório começam a enlouquecer e a sonhar em estado de vigília, Atsuko assume seu alter-ego, Paprika, a bela “detetive de sonhos”, para mergulhar no mundo do inconsciente e descobrir quem está por trás da tragédia.

Akira


Esta animação do estúdio Tokyo Movie Shinsha foi produzido por Hyoei Susuki e dirigido por Katsushiro Otomo em 1988, é um dos clássicos da cultura japonesa. Traz grandes sequências de ação. O filme foi produzido a partir de 160 mil imagens únicas. Sua classificação indicativa aqui no Brasil é +14.

Assista ao trailer.

Sinopse:
Uma grande explosão fez com que Tóquio fosse destruída em 1988. Em seu lugar foi construída Neo Tóquio, que, em 2019, sofre com atentados terroristas por toda a cidade. Kaneda e Tetsuo são amigos que integram uma gangue de motoqueiros. Eles disputam rachas violentos com uma gangue rival, os Palhaços, até que um dia Tetsuo encontra Takashi, uma estranha criança com poderes que fugiu do hospital onde era mantido como cobaia. Tetsuo é ferido no encontro e antes de receber a ajuda dos amigos é levado por integrantes do exército, liderados pelo coronel Shikishima. A partir de então Tetsuo passa a desenvolver poderes inimagináveis, o que faz com que seja comparado ao lendário Akira, responsável pela explosão de 1988. Paralelamente, Kaneda se interessa por Kei, uma garota envolvida com espiões que tenta decifrar o enigma por trás das cobaias controladas pelo exército.

Tokyo Godfathers


Um dos maiores sucessos da Madhouse talvez o maior é, definitivamente, Tokyo Godfathers. O longa foi lançado em 2003 sob direção de Satochi Kon e é classificado por aqui como +16.
Sinopse:
Véspera de Natal. Hana é uma travesti que tem como melhores amigos a adolescente Miyuki e Gin. Eles são mendigos e vivem em caixas de papelão, sempre em busca de algo interessante em meio ao lixo. Um dia o trio encontra um bebê abandonado. Gin insiste que eles devem entregá-lo à polícia, mas Hana deseja cuidar dele, já que sempre sonhou em ser mãe. Ao perceber a falta de condições do trio, ela concorda em devolvê-lo aos pais. Eles têm em mãos pistas deixadas na cesta do bebê, como fotos e chaves, e as usam para encontrá-los. Em meio à jornada, o trio precisa enfrentar o passado que cada um deles deixou para trás.

Meu Amigo Totoro


Em 1988, o Studio Ghibli lançava uma das maiores animações japonesas. Sua direção ficou nas mãos do incrível Hayao Miyazaki. Por mais que seja do final dos anos 80, esta animação já mostra as marcas registradas do estúdio, como a ambientação de um mundo fantasioso para tratar dos problemas da vida real.
Sinopse:
Mei, é uma jovem que encontra uma pequena passagem em seu quintal, que a leva à um lendário espírito da floresta, conhecido como Totoro. Sua mãe está no hospital, e seu pai, divide o tempo entre dar aulas na faculdade e cuidar de sua mulher doente. Quando Mei, tenta visitar a mãe por conta própria, se perde na floresta, e só o grande e fofo Totoro, pode ajudar a menina a achar o caminho de volta para casa.

A Viagem de Chihiro


13 anos mais tarde, o Studio Ghibli lançou a sua maior produção até então. A Viagem de Chihiro ganhou um Oscar de melhor animação e levou um Urso de Ouro no festival de Berlim. Claro que esta obra não poderia ter saído das mãos de outra pessoa que não Hayao Miyazaki.
Sinopse:
Chihiro é uma garota de 10 anos que acredita que todo o universo deve atender aos seus caprichos. Ao descobrir que vai se mudar, ela fica furiosa. Na viagem, Chihiro percebe que seu pai se perdeu no caminho para a nova cidade, indo parar defronte um túnel aparentemente sem fim, guardado por uma estranha estátua. Curiosos, os pais de Chihiro decidem entrar no túnel e Chihiro vai com eles. Chegam numa cidade sem nenhum habitante e os pais de Chihiro decidem comer a comida de uma das casas, enquanto a menina passeia. Ela encontra com Haku, um garoto que lhe diz para ir embora o mais rápido possível e ao reencontrar seus pais, Chihiro fica surpresa ao ver que eles se transformaram em gigantescos porcos. É o início da jornada de Chihiro por um mundo fantasma, povoado por seres fantásticos, no qual humanos não são bem-vindos.

*Os dois filmes do Studio Ghibli são livres para todas as idades, porém, não foram encontrados nas buscas por classificação indicativa do site do Ministério da Justiça.

Agora não tem desculpa para não conhecer estes clássicos da animação japonesa. Pegue sua pipoca, corra para o sofá e boa sessão!


Créditos

Texto: Bruno Bolner
Sinopses: Adoro Cinema
Revisão: Juninho Lima

O artigo representa as opiniões do autor do texto e não a opinião do Co-op Geeks.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga