Menu
» » » » » » » » » » Tirando da Estante: Final Fantasy Type-0


Igor Oliveira 20.2.17


Sabe o finado PSP? Então, ele nos trouxe o Final Fantasy mais impiedoso/sombrio que já foi lançado até os dias de hoje, sim, o considero o titulo mais agressivo da franquia cuja trajetória é repleta de sacrifícios, e quando digo sacrifícios, é morte pra todo lado - desde um Chocobo a um PERSONAGEM PRINCIPAL (deixando até mesmo a morte de Aerith no chinelo). Se após a recente entrevista de Tetsuya vocês ficaram com medo de pensar em todos os personagens de FFVII mortos, Final Fantasy Type-0 não poupa esforços. 

O game foi lançado em 2011 exclusivamente para o PlayStation Portable e remasterizado para o PlayStation 4 e Xbox One em 2015. Dirigido por Hajime Tabata (aquele que estava no auge por Crisis Core: Final Fantasy VII e atual diretor de Final Fantasy XV). A produção do jogo passou por várias complicações mudando de nome e de plataforma que originalmente foi pensado como Final Fantasy Agito XIII para mobiles. Confira o trailer do game:


Fantasia que só a Square sabe fazer


A história se passa dentro da mitologia da Fabula Nova Crystallis (a mesma da saga de Final Fantasy XIII e XV) no continente de Orience que é dividido em quatro nações: Rubrum, Império Milities, Concórdia e Aliança Loricana, onde cada uma tem o seu cristal e, através deles, concedem poderes para lutar contra o evento apocaliptico Tempus Finis, mas as nações se dividem entrando em guerra e gerando um  grande conflito politico, Rem e Machina narram toda a história que já se inicia no caos (imagine um filme sobre perda, sacrifícios e guerra; esse é Type-0).

Pra que jogar com um se posso jogar com catorze


No jogo você controla a Classe Zero, um grupo de elite de catorze estudantes da Vermillion Peristylium, cada um possui uma arma e habilidade; o jogo tem um variedade imensa de jobs/classes diferentes, cada personagem tem uma característica e seu crescimento no decorrer da história que conta com quest pessoais, vários diálogos e aprofundamento narrativo (não se preocupe você não irá perder a imersão por falta de desenvolvimento dos personagens, todos são bem aproveitados).

Confira abaixo as armas de cada personagem:

Ace: Baralho Mágico
Deuce: Flauta
Trey: Arco e Flecha
Cater: Pistolas Mágicas
Cinque: Maça
Sice: Foice
Seven: Espada-Chicote
Eight: Artes Marciais
Nine: Lança
Jack: Katana
Queen: Sabre
King: Pistolas
Machina: Espadas-Prego
Rem: Adagas

Inovação feat. referência


A jogabilidade é muito semelhante à Kingdom Hearts e Crisis Core Final Fantasy VII, porém foi adaptada de uma forma melhorada para época ganhando assim vários elogios da critica especializada, no entanto, a câmera foi alvo de comentários negativos - o restante foram apenas elogios.

Na sua party você só consegue andar com três personagens, fora os extras que você pode utilizar caso algum dos três morra - ao iniciar uma missão o menu de escolha de personagens te indicará quais são os melhores personagens para tal missão (você não é obrigado a levar os catorze) e além disso, há três opções de ataques poderosos - dentre um deles está as famosas Eidolons/Summons que conta com Golem, Odin, Shiva, Ifrit, Bahamunt, Diablos (sim ressuscitaram esse lindão) e Alexander - bem ao estilo Final Fantasy IX.

Dentre os outros ataques poderosos, está a invocação do Vermilion Bird; mas para invocar os Eidolons e o Vermilion Bird é necessário sacrificar os três personagens de sua party e a última opção de ataque é a mais simples comparada as outras: é uma combinação da sua party em um golpe único utilizando as habilidades de cada personagem.



O jogo ainda conta com um mini-game obrigatório, que, quem jogou algum jogo da franquia Suikoden, se sentirá familiarizado. O mini-game consiste em um campo de batalha tático que você deve conquistar as cidades e luta contra os soldados - para alguns renderá momentos divertidos, mas para outros, dor de cabeça.

Som da Morte

A sua trilha sonora é impecável contendo vários solos de guitarra e corais  que irão despertar momentos de aflições e drama - muito drama. Por ter uma trama bem sombria e pesada, a trilha te dá aquele sentimento de estar em uma guerra guerra, cujo cada segundo é valioso - vida, morte e esperança. Confira a playlist:


We Have Arrived

Final Fantasy Type-0 é um dos melhores títulos da franquia, mas que infelizmente, não teve o reconhecimento devido aqui no ocidente, provavelmente por seu atraso para ser localizado - mas se der uma chance para ele, irão ver o quão rico esse Final Fantasy é, e que ele acaba desbancando até títulos numerados - e digo mais - ouso afirmar que a sequência já esta sendo produzida e pode ser ou seguir algum conceito deste trailer:



Não deixe de contar nos comentários se você se interessou em conhecer o jogo, e se já jogou, acha que poderíamos ter mencionado outras facetas desse game incrível!

Créditos

Texto: Igor Oliveira
Revisão: Juninho Lima

O artigo apresenta opiniões e ideias do autor do texto, não do site Co-op Geeks.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga