Menu
» » » » » » » » » » » Star Wars - a Ascensão dos Skywalker (review sem spoilers)


Felipe Cavalcante 25.12.19


Star Wars - a Ascensão dos Skywalker, o último filme da nova trilogia de Star Wars e o prometido fim de uma saga que segue a família Skywalker e o conflito entre as forças do Jedi e dos Sith, do Império e da Rebelião. Mas fica a questão: esse filme apresenta uma conclusão da história dos Skywalker que seja satisfatória? 

A Jornada de Rey



Dessa vez temos Rey descobrindo finalmente mais sobre o seu passado e tendo viradas que poderiam ser extremamente interessantes se isso não fosse muito mais uma espécie desconjuntada de correção de curso. A personagem continua interessante de se assistir e a atriz Daisy Ridley entrega muito bem em sua atuação, especialmente nas cenas de luta contra Kylo Ren, a tensão entre os dois se torna mais crescente conforme o filme prossegue e a maneira como isso vai se desenvolvendo é um dos pontos mais interessantes que temos. 

Temos uma ou duas cenas em que Rey também precisa aprender a lidar com as consequências do seu poder e a pessoa que ela se torna ou pode se tornar que são muito boas, apesar de como algumas vezes nesse filme não parece ter um impacto tão forte quanto deveria ter. 

Sobre Finn e Poe



Alguns dos melhores momentos do filme são a interação entre o trio Rey, Poe e Finn e que trazem um foco na relação dos três que não pôde ser desenvolvida melhor nos outros dois filmes anteriores pelo foco no trio original de protagonistas: Luke, Han Solo e Leia, mas agora podemos ter um pouco dessa interação acontecendo.

Poe tem um crescimento durante o filme, tendo que aprender a lidar com as pressões da liderança e Finn acaba descobrindo mais pessoas como ele, tendo um momento bastante interessante que reflete o seu crescimento como personagem. 

O final de Leia Organa 



A ideia original para essa trilogia era que cada um dos três filmes, de certo modo, refletissem aos personagens originais da trilogia, desse modo o primeiro filme é muito sobre Han Solo, o segundo sobre o Luke, mas Ascensão dos Skywalker sofreu com a morte da atriz Carrie Fisher em dezembro de 2016, a decisão tomada foi usar cenas filmadas anteriormente nesse filme e isso fica bem aparente nas cenas, não de uma maneira que seja muito distrativa. Na verdade é justamente a aparição de Leia que acaba por desencadear um dos momentos-chave para a jornada de Rey e Kylo no filme e parece ser um final digno para a personagem.

O Caminho de Kylo Ren


Kylo Ren tem uma linha narrativa interessante e ele é um dos destaques desse filme, as cenas em que ele e Rey interagem e tudo o que Kylo diz durante os momentos em que os dois se conectam sempre parecem ter um peso profundo, e é claro, moldado bastante pelo filme anterior. 

O caminho que ele toma, no entanto, vai pelo o que nós já esperávamos, e é claro, como o filme não tem exatamente muito tempo para desenvolver o crescimento do personagem como diversas coisas acaba espremido e sufocado no meio de diversos pontos de trama.

A luta final parece desconjuntada, se temos outros exemplos de séries de filmes que finalizam suas longas jornadas com personagens com quem temos apego emocional em batalhas épicas aqui não temos tensão nesta batalha final. O clímax não tem uma tensão que vai crescendo e crescendo, há momentos em que alguma coisa acontece que parece favorecer na batalha, mas quando vemos isso da perspectiva de outra personagem isso não parece ter impacto nenhum. A falta de impacto, consequência e peso em certos pontos do filme é o que acaba enfraquecendo demais a narrativa inteira e só podemos concluir que isso tem origem na imensa pressão de uma maioria vocal dos fãs e da recepção de The Last Jedi, que preferem um status quo imutável e apenas o desenvolvimento dos personagens que eles desejem.



A Ascensão dos Skywalker termina a saga em uma nota positiva, apesar de não ter o sentimento de finalização de história. A história dos Skywalker agora parece ter finalmente se fechado e só o tempo dirá como e quando teremos mais histórias de uma galáxia muito distante...


 
Créditos

Texto: Felipe Lima
Revisão: Felipe Lima

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga