Menu
» » » » » Vozes de Uma Estrela Distante, um conto sobre relacionamentos à distância


Franco Wolff 1.8.21

 

Imagem retangular em animação japonesa em ângulo de vista de baixo para cima. Ela mostra um grande robô de batalha com diversos mecanismos espalhados pelo corpo e, no canto inferior esquerdo, pode-se ver a cabeça de uma garota, de costas, observando o robô. Ao fundo, o céu azul com algumas nuvens e linhas de fumaça como as deixadas por mísseis.

Makoto Shinkai tem o dom de usar cenários sci-fi como pano de fundo para contar histórias que tocam o coração. O curta de animação "Vozes de uma Estrela Distante" fala sobre um relacionamento à distância de Noboru Terao e Mikako Nagamine, que se conhecem desde a escola.
A história se passa em 2047, e a jovem estudante Mikako conta para seu amigo (talvez mais do que isso) Noboru sobre seu objetivo de se tornar uma piloto de Tracer, uma espécie de Mecha usado para combater os alienígenas chamados Tarsians, que atacaram as colônias de marte em 2039. Isso significa que sua relação se tornará distante e as mensagens trocadas em seus celulares podem levar meses para serem recebidas.
O curta foi escrito e dirigido por Makoto Shinkai entre os anos 2000 e 2001, usando apenas seu notebook. Na versão original, as vozes são de Makoto e Miko Shinohara, sua namorada na época. O amigo de Makoto, Tenmon, foi responsável pela trilha sonora. As vozes foram alteradas para o lançamento em DVD, usando profissionais de dublagem.
A animação de personagens não tem grande qualidade, porém o grande trunfo de Makoto Shinkai está nos cenários e nessa obra não é diferente. Os detalhes estão lá, incríveis e ricos, apesar das limitações de sua produção.
A narrativa se constrói de forma pouco convencional, traz diálogos reflexivos e profundos, fala sobre sentimentos e sobre amadurecimento. A dúvida e a insegurança são temas constantes nessa obra e, em 25 minutos de duração, Makoto trata de assuntos tão delicados de forma impecável.

Alerta de Spoiler, você recebeu o aviso. A partir daqui é por sua conta e risco.

Mikako viaja pelo espaço junto com as forças da ONU para lutar contra os Tarsians e, pouco a pouco, se afasta cada vez mais da Terra. Apesar de cenas interessantes de ação durante as batalhas espaciais de Mikako, o foco da obra está na saudade que os jovens sentem um do outro. Constantemente sentimos a tensão da garota ao tentar enviar suas mensagens para Noboru enquanto luta contra alienígenas. Por outro lado, também podemos sentir a ansiedade de Noboru ao receber uma mensagem. Em certo ponto, o garoto reflete sobre seguir em frente em sua vida, sem contar com o retorno de Mikako. Noboru compara a relação dos dois com uma época em que se trocava cartas e traz uma perspectiva diferente sobre relações à distância. Outro ponto importante é a diferença de tempo entre Mikako e Noboru. Para a garota, o decorrer de poucas batalhas e viagens acontecem em um espaço de tempo que duram anos terrestres. Enquanto Noboru deve encarar sua fase adulta, Mikako ainda tem toda a juventude para viver.
Apesar da iminência de um término da relação, o filme não aborda de forma triste nem pessimista. Ele lembra que os dois construíram memórias juntos e que isso é capaz de vencer as barreiras do tempo e do espaço.

A obra nos deixa com uma sensação de gosto amargo mas, de alguma forma, aquece o coração.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga